sábado, setembro 25, 2021

Ciao! 

Disponível na Amazon  

Que eu sou fã da escrita do Vinícius Grossos, imagino que quem frequenta o Literatura de Mulherzinha já saiba.
Este livro exemplifica o motivo: ele sempre me surpreende. 
 

Não foi por acaso – Vinícius Grossos – Editora Nacional
(2021)
Personagens: Helena, Fernando e Miguel
 

Três adolescentes que não se conhecem ficam presos no elevador de um hospital. Foi um plano do Destino que tinha motivos para colocá-los no mesmo ambiente por um tempo. É assim, entre estranhos, que confissões são feitas e se descobre que, no fundo, todos estão sob a mesma chuva. Basta saber se é o momento de se proteger ou de se deixar molhar por ela. 

Comentários: 

Sabe uma coisa que traz identificação? A dor. Os humanos não racionalizam, mas de fora é muito fácil perceber isso. Quando se um vê ou se percebe na dor do outro, o entendimento às vezes acontece”. 

- De todos os livros que o Vinícius lançou, ou fez parte, me faltam ler dois – o Sereia Negra e o Eu chamo de amor. Em todos eles, algo me surpreendeu. 

- Em Não foi por acaso, o que me encantou foi o fato de minimizar o máximo para universalizar o particular. Parece confuso, mas foi o que ficou na minha mente quando terminei o e-book (sim, li o e-book, mas vou comprar o físico em breve). Ele conseguiu concentrar em três personagens presos em um elevador problemas que dialogam com muitas pessoas atualmente – ou seja, menos foi muito mais. 

- Enquanto jornalista, ou seja, alguém que também trabalha com as palavras, embora com finalidade diferente, posso garantir: isso que ele fez neste livro é difícil para caramba. Particularmente, para uma prolixa descarada como eu, beira a missão impossível falar tanto de forma concisa e certeira. Ah, detalhe: não é um livro seco e direto. Para usar uma metáfora que está presente ao longo da história: ele transborda sentimentos. 

Abrir mão do que a gente gosta é uma das piores dores do mundo

- Atire a primeira pedra quem nunca se sentiu pressionado pelas expectativas alheias, quem nunca gostou de si mesmo porque sempre teve uma visão distorcida, quem fez escolhas erradas na vida, quem buscou o amor e ainda não encontrou. Quem não se sente protagonista da própria vida, mas um fantoche dos outros e, por que não, do destino? 

- A gente se identifica com as reflexões dos protagonistas porque elas são particulares de cada um, mas também dialogam com o nosso íntimo – ou seja, se tornam universais. E muitas vezes, a gente é incapaz de ter esse olhar de fora sobre nós mesmos, esse olhar que enxerga de forma cirúrgica aqueles pontos que a gente teima em não admitir. 

Peço desculpas, mas temos que falar deste assunto. Vocês sempre sabem. Se não sempre, quase sempre. Lá no fundo, naquele lugarzinho que não gostam de visitar, está escondida uma voz bem fraquinha que sempre mostra o que é sincero e real e o que não passa de belas espirais de fumaça, que somem sem deixar rastro. Assim repito: vocês sabem, só que, na maioria das vezes, é mais confortável acreditar na mentira que criam para se proteger. Fingir dói menos. Mas só por um tempo”.  

- Sei que a referência óbvia, via música citada no livro é o filme O Clube dos Cinco. Eu me lembrei de um episódio antológico do seriado que eu mais amei assistir – E.R. (Plantão Médico): Secrets & Lies, o 16º episódio da 8ª temporada. O conceito é o mesmo: pessoas convivendo em um mesmo espaço por um período, por motivos alheios às suas vontades. No filme, os adolescentes estavam de castigo. No seriado, tinham que passar por um curso e conversam enquanto a instrutora não chega. 

- Em ambos – e também em Não foi por acaso, temos prejulgamentos, disputas e palpites sobre a vida alheia rolando, solicitados ou não. E as pessoas que encontramos no início não serão as mesmas de quem nós damos tchau no final. 

- Vale a pena refletir sobre e com Helena, Fernando e Miguel – com a vantagem de não ter que ficar trancada num elevador para isso (já fiquei presa por alguns minutos e não foi nada legal). Sério: se não leu Não foi por acaso, leia. Vale muito a pena. Não sou eu quem diz. É o destino.  

- Links: Goodreads livro e autor; site do autor; Skoob; mais dele no Literatura de Mulherzinha. 

Arrivederci!!! 

Beta

domingo, setembro 19, 2021

Ciao!!!


Novidade chegando na Amazon. Neste fim de semana, a Silvana Barbosa divulgou a capa do novo livro dela - o romance de época "Dê-me sua mão"!

Confira a sinopse:

Ser filha de um barão rural nunca foi uma grande vantagem para Adele Thompson, mas, quando o pai adoece gravemente, as dívidas da família chegam a um ponto insustentável.
Adele sabe que a forma mais rápida de se livrar da total ruína financeira e ajudar a todos que dependem do barão é fazer um bom casamento.
Mas qual nobre rico vai se animar com uma noiva sem dote e sem grandes atrativos, quando há tantas beldades ricas caçando maridos também?
Ao saber que certa dama está promovendo uniões entre a nobreza falida e ricos empresários estrangeiros, Adele vê a chance de resolver seus problemas, afinal, 
trocar um ingresso à sociedade por contas pagas não é um mau negócio!
Encontrar um noivo em tempo relâmpago pode ser tarefa difícil, mas não impossível... porém, será que ela realmente vai conseguir achar o homem certo?
Atualização: já chegou à Amazon! Garanta o seu!

Arrivederci!!!

Beta 

sábado, setembro 18, 2021

Ciao! 

Disponível na Amazon

 

Ana Duval é uma sobrevivente. Diante de tudo que ela passou, merece meu total respeito.

Já Bastien, fiquei com dúvidas. 

Joia da Inocência – Maya Blake – Paixão Glamour 10 
(Innocent in his Diamonds – 2015 – Mills & Boon Modern Romance) 
Personagens: Ana Duval e Bastien Heidecker 

A modelo Ana Duval estava muito encrencada: presa por estar com drogas em uma boate e a Justiça determinou uma fiança absurda de cara... que foi paga pela empresa para qual ela trabalhava. E agora estava sob condicional e sob vigilância do CEO da Heidecker, Bastien. Como tudo sempre pode ficar pior, ele tinha sérias ressalvas à Ana por causa de uma quase tragédia familiar envolvendo a mãe da garota. Agora ela precisava provar que era inocente ou correria risco de perder a chance de finalmente realizar o único sonho que acalentou ao longo da vida.  

Comentários:  

Independentemente do passado, Ana Duval era a culpada pelo caos infernal que acabara com a vida dele. Testara o controle dele dois meses atrás e continuava fazendo a mesma coisa, lembrando[1]o da vulnerabilidade das próprias emoções.
E isso ele jamais perdoaria.
 

- As imagens não mentiam: a modelo Ana Duval foi presa por posse de drogas em uma boate. A Justiça não teve clemência e agora, enquanto não fosse a julgamento, ela estava sob responsabilidade de Bastien Heidecker. O dono da empresa de diamantes que ela era o rosto dos comerciais de joias. O homem que teve a família destruída por causa das ações da mãe de Ana.  

- Embolado, né? Imagina só na cabeça de Ana que era uma criança na época. E agora era uma linda mulher que Bastien não conseguia esconder que desprezava ao mesmo tempo que desejava. Ele tinha várias certezas sobre ela e começa o livro atirando praticamente pedreiras na garota. Afinal de contas, “estava no DNA, ela era uma muito sensual e claro que usaria isso de forma indiscriminada”. Basicamente estes são alguns pensamentos dele sobre ela.  

- Maya Blake volta ao tema da garota sendo “punida” por ser uma garota e acrescenta ainda toda a raiva que Bastien sentiu sobre a situação dos pais e que o impulsiona a ter certeza de que Ana não é tão inocente quanto diz ser.  

- Nem preciso dizer que ele vai quebrar a cara. Aliás, a autora gostei que a Maya Blake começou a desmontar as convicções dele não da forma óbvia. A cena que começa de uma forma muito irritante – desrespeito à privacidade – e termina com um tapa com luva de pelica de Ana.  

- A partir disso, temos outro confronto em andamento: o desejo e a razão dos dois. Ela consegue aprofundar os personagens, dando vazão aos sonhos que Ana perderia caso não provasse a inocência e aos sentimentos que Bastien optou por ignorar desde o trauma com os pais. Só que ele vai perceber que não foi o único traumatizado na vida. De certa maneira, Ana perdeu até mais que ele. 

- Gostei de ver a trajetória dos personagens, o quanto eles se modificaram. Comecei detestando Bastien e terminei gostando dele. Comecei gostando de Ana e terminei admirando como ela foi resiliente sem perder a doçura e a esperança, mesmo quando não tinha retorno. Maya Blake acertou de novo. 

- Links: Goodreads livro e autora; site da autora; Skoob; mais dela no Literatura de Mulherzinha 

Arrivederci!!!  

Beta

quinta-feira, setembro 16, 2021

Ciao!!!

Exatamente: ele não para! 

Jhonatas Nilson lançou mais uma história: A escritora virgem e o CEO que odeia romance

Confira a sinopse:

Ela sabe como escrever romances eróticos, mas não faz ideia de como lidar com os homens da vida real!

Betty Burton sempre encontrou refúgio nos livros. Para ela, a vida é muito mais interessante através da beleza de um bom romance. Mas ao decidir buscar experiências para escrever uma nova história, tudo acaba saindo do controle. Agora, ela precisará reconhecer que alguns sentimentos são inevitáveis. O amor é um deles.

Ele é um cafajeste do pior tipo...

Desde que herdou a editora da família, a vida de Victor Greenwood se tornou um verdadeiro inferno. De uma hora para a outra, precisou aprender a avaliar livros românticos detestáveis e a lidar com autores extremamente arrogantes. A verdade é que ele já não suporta mais ouvir falar sobre histórias fofas repletas de sexo e finais felizes.

Betty e Victor precisarão trabalhar juntos. Ela ama ler, ele detesta. Quando esses dois mundos se chocam, nada será como antes.

Nessa comédia romântica divertida e sensual, apaixone-se pela leveza de um amor que surge em meio aos livros!

Quer garantir o seu? Corre na Amazon!

Arrivederci!!!

Beta

terça-feira, setembro 14, 2021

Ciao!!!


 Afinal de onde viemos e como o mundo que conhecemos foi criado? Essas são duas perguntas que a séculos a ciência e algumas religiões tentam responder, mas afinal de contas, quem está certo? E será que existe uma única resposta?

História, religião e ciência contados em uma linguagem de quadrinhos de forma didática são a essência de “De onde viemos,” de Carlos Ruas, que considera este livro o projeto mais ambicioso da última década de “Um Sábado Qualquer”. O projeto estará ativo na plataforma Catarse até o dia 11 de outubro. 

Ciência e religião

Para responder estas e outras perguntas, o quadrinista Carlos Ruas decidiu buscar entre os deuses e a ciência mais respostas para esses questionamentos, e descobriu uma infinidade, desde o Gênesis até os mais exóticos, e escolheu 12 histórias para contar em seu oitavo livro “De onde viemos”. 

Além do traço de Ruas, o projeto conta com artistas nacionais convidados que representam cada uma das crenças escolhidas, que vão desde a Grécia antiga até a curiosa tribo das Ilhas Banks, na Oceania.

Tudo se passa no famoso “boteco dos deuses” após uma confusão de quem seria o único e verdadeiro Deus criador. A partir desse impasse, eles decidem competir entre si contando as próprias versões da origem do mundo a dois mortais, que devem votar na melhor história. 

Os jurados selecionados foram George Lematrê, que teorizou o big bang e Charles Darwin, que teorizou a seleção natural. Além de terem a responsabilidade de decidir qual será o vencedor, ambos entram no jogo e dão as suas contribuições, explicando de forma cientifica o que sabemos hoje sobre a origem da vida e do cosmo.

Apresentação dos artistas convidados do livro "De onde viemos?"

Arrivederci!

Beta