segunda-feira, dezembro 31, 2007

Ciao!!!

Disponível na Amazon


Desde que eu li o primeiro livro da Julia James, reparei que ela adora o tema vingança, ou reparação da honra e tem uma mão boa para escrever sobre Italianos e Gregos. Isso tudo já seria suficiente para atrair a minha atenção. 
Para melhorar, ela tem a esperteza de não escrever mocinhas abnegadas e sofredoras. São mulheres que sabem lutar, mesmo quando são derrotadas e que sabem que o mundo não é cor de rosa. 
Por isso, gostei da maioria dos livros dela que li. Eis que o LITERATURA DE MULHERZINHA abre espaço para mais um trabalho desta autora... 

Beijo fatal - Julia James - Jessica 50
(Purchased for revenge - 2006 - Mills & Boon)
Personagens: Eve Hawkwood e Alexei Constantin

Vingança. Era esse o sentimento que movia Alexei. Queria destruir o império Hawkwood, como uma forma de acertar as contas com Giles, poderoso empresário, capaz de tudo para evitar a derrota. Até mesmo oferecer os favores da filha, Eve, que é descrita impiedosamente pelos boatos como a versão feminina do pai. Apesar da atração por Eve, ampliada por um beijo compartilhado ao luar, Alexei não se detém e cumpre sua palavra. No entanto, Eve quer algo que agora pertence a Alexei. E ele quer uma noite com ela para pensar se deve ceder... O problema é que o preço desta noite pode se revelar muito mais alto do que os dois podem pagar.

Curiosidades e comentários:

- Apesar do nome, Alexei não é grego. É da Dalaczia, um país nos Bálcãs. E sim, isso faz toda a diferença na história. 

Já li alguns livros da Julia James. Tanto que já deu para determinar o "modus operandi" dela: 
  • mocinho se julga dono da verdade;
  • mocinho acredita que mocinha está errada;
  • mocinho faz algo para ter a mocinha a mercê dele;
  • mocinha tenta se fazer ouvir;
  • as convicções de mocinho começam a ir por água abaixo;
  • mocinho não dá o braço a torcer; 
  • mais verdade é esfregada na cara de mocinho;
  • ele começa a duvidar;
  • a verdade estoura na cara dele;
  • mocinha perde as estribeiras e manda mocinho catar coquinho embaixo de vulcão em atividade no Havaí;
  • mocinho quer ser perdoado;
  • mocinha ainda quer vê-lo triturado;
  • mocinho pede desculpas de forma convincente e decente;
  • mocinha perdoa
  • e eles são felizes para sempre. 
- Salvo algumas diferenças de livro para livro, a trama base se encaixa nisso. Portanto, Beijo Fatal não deveria ser nenhuma surpresa para mim. Mas foi. 

- Há duas reviravoltas na história: a tal noite-pagamento e a hora que vem à tona a verdade sobre Eve (não o que Alexei julgava ser "a verdade" sobre ela). 

- Julia James foi esperta ao esconder o segredo até o máximo possível para a bomba estourar - e você - que descobre tudo pelo ponto de vista de Alexei - perde o chão, como ele. 
Meu Deus, Eve, eu estava completamente enganado!
- No contexto inicial pós-choque, tudo indica que não há forma de resolver de forma positiva a situação. E sim, apesar de saber que o happy end é quase obrigatório neste tipo de livro, até hoje acho que o casal fosse terminar separado, porque garota nenhuma perdoaria o que Alexei fez. Aliás, quando li a primeira vez me incomodou bastante. Agora, sempre que penso na história só me vem à cabeça que ele deveria ter sido preso. 

- E quando você descobre o histórico de Alexei - leia-se o motivo da vingança - você fica perdida como Eve, tentando entendê-lo - mesmo sendo difícil perdoá-lo. 

- Porque este livro se resume a uma palavra: escolhas. E os motivos que os levam a decidir não são os que "aparentam". Para se ter uma ideia, as más escolhas de Alexei colocam qualquer avassalador ou cowboy de Jacobsville no chinelo. E isso a gente pode aprender e usar na vida real antes de sair atirando pedra em telhados de vidros alheios... 

- Eu recomendo Beijo fatal, sabendo que nem todas as pessoas vão gostar dele. Como disse, foi um livro que me surpreendeu. Onde as boas escolhas e as más escolhas trazem consequências inesperadas e até doídas. E só o perdão, que está em algum lugar do "modus operandi" da autora, pode fazer as coisas continuarem a sua jornada... 

Arrivederci!!!

Beta

ps.: Se alguém estiver enfrentando as situações citadas no livro, peça ajuda à Central de Atendimento à Mulher pelo número 180.
Reações:

5 comentários :

  1. Anônimo10:45 PM

    "Comentários:
    Já li alguns livros da Julia James. Tanto que já deu para determinar o "modus operandi" dela"
    [Segue lista]
    Então, salvo algumas diferenças, Julia James tem um "quê" de Diana Palmer? Ou eu estou delirando? O.o Bem, essa minha conclusão depois desse "ps". Meu Deus, o Alexei escolheu errado? Será que ele deve entrar no rol "Concentre-se em ser bonito e burro e deixe o resto com a mocinha"? kkkkkkkkk
    Fora isso, eu adorei a parte do "-mocinha ainda quer vê-lo triturado". Ai, lá vou eu, caçar livros da Julia James! Oh, como eu sofro! lol

    ResponderExcluir
  2. Anônimo5:36 PM

    oi, Beta
    Sempre leio seu blog e gosto muito de suas opiniões. Já li este livro e fiquei chocada, por mais ficção que é, fiquei magoada com o Alexei, realmente impressionei, se fosse realidade colocaria Alexei na cadeira eletrica sem dó, mais como faz parte e é tudo divertimento, como gosto de romances a e tambem gosto da Julia James.
    Bjos.
    Lucilenegscampos@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  3. Lidy,
    Na verdade, a trama-base é sempre a mesma - Lynne Graham, Michelle Reid, Diana Palmer e Julia James usam sempre esse plot da vingança. Mas o que me irrita em alguns livros - mocinhas abestalhadas que agüentam tudo e perdoam fácil - não acontece nos livros da Julia James, porque os mocinhos dobram um cortado (como dizem minhas tias) pra recuperar o respeito da mocinha. Na verdade, eu queria ver um livro da Diana à Julia. Só pra ver os cowboys penando LOL

    Lucilene, eu tb fiquei chocada com a atitude do Alexei. E a punição dele no livro foi exemplar. Além da consciência pesada e cobrando, a reação de Eve de não perdoá-lo fácil foi realista. Aliás, como eu disse, não achei que ele seria perdoado. Não achei mesmo. Mas como a maioria destes livros termina com happy end, esse dificilmente seria diferente.
    Obrigada pela visita e comente sempre!!!Bacci!!!

    ResponderExcluir
  4. Anônimo1:56 PM

    hahaha
    Mocinha besta e que perdoa fácil também me irrita. As mocinhas da Diana já foram gente ruim. rs Tipo a Dani, de "Uma Estranha ao meu Lado" ou a Gretchen. hehehe
    De vez em quando, eu acho que a Diana tem preguiça de escrever, porque as histórias sempre são "mocinhas bestas que são apaixonadas há milhares de anos pelos mocinhos panacas; elas têm traumas sexuais e um pai malvado. Eles, um trauma amoroso e uma mãe ruim". Só o pano de fundo que muda. Claro que tem exceções, mas a maioria é isso aí.
    "eu queria ver um livro da Diana à Julia. Só pra ver os cowboys penando"
    Bem, Corrigan Hart pena um pouco pra ter a Dorie de volta. hehehe É aí que entra os irmãos Biscoito. xD
    Bjos

    ResponderExcluir
  5. Fiquei com vontade de ler esse livro, pelo tanto de resenhas que li percebi que ele é o tipo, ou ame ou deixe. Mas seja qual foi o veredito, o livro sempre surpreender, e é isso que quero no momento.

    Uma coisa que me agradou é que pelo jeito ele realmente sofre!!! Isso é bom hahaha *risada maligna*

    Uma coisa chata nesses livros com vinganças é a motivação do mocinho! Que na maioria das vezes é no mínimo .... idiota!!! rsrsrsrs
    Bjsss

    Blog -
    Sarang Hamnida Dramas

    ResponderExcluir