domingo, setembro 05, 2010

Ciao!



Suspeito que não exista um livro ruim na série Baby on Board.

Sério.

Não bastasse ter aqueles bebês na capa que já amolecem qualquer coração – mesmo aqueles que entram em pânico à menção de “instintos maternais”, até agora li histórias que me fazem querer mais...

E imagina quando tem italiano no meio? Aí já viu, né? Chance de momentos fofuras tamanho monstro...

Herança do Amor – Lucy Gordon – Harlequin Special 13 (Baby on Board)
(Italian tycoon, secret son – 2009 – Mills & Boon Romances)
Personagens: Mandy Jenkins e Renzo Ruffini

Mandy se assustou com aquele homem descarado, um tanto inconsequente e bastante lindo e atraente que invadiu seu quarto à noite, para fugir de um marido ciumento (ele não sabia que a “amiga” era casada, oras!). Da provocação, brigas, discussões, Mandy pode conhecer melhor Renzo, que seria o guia substituto naquela escalada nas montanhas geladas... E o que era para ser diversão acabou em tragédia por causa de um irresponsável. Dois anos depois, Mandy descobre que, ao contrário do que pensava, Renzo havia sobrevivido e viaja à Milão para reencontrá-lo. No entanto, ele tinha falhas de memórias, entre outras seqüelas do acidente, e Mandy teria que conquistar a confiança dele antes de revelar que ele tinha um filho e descobrir se haveria chance para todos eles se tornarem uma família.

Comentários:

- O livro começa charmoso e bem humorado, passeia pelo drama para contar uma história de recomeço. A primeira impressão entre Mandy e Renzo não foi a mais animadora possível.

- Afinal de contas, nada contra um italiano invadindo seu quarto à noite, a menos que seja um daqueles conquistadores inveterados. As provocações entre eles variam da vontade de espezinhar ao charminho e à oportunidade de descobrir mais um sobre o outro. Até que o acidente os separa...

- Dois anos depois, Mandy vai à Milão reencontrar Renzo e se surpreende. Ele não é o mesmo homem charmoso, galanteador e despreocupado que ela conhecera e por quem se apaixonara.

- Mas a conexão entre ela e ele ainda existe – e ajuda Renzo a recuperar as memórias que considerava ser apenas um sonho de uma época ruim de sua vida.

- Juntos, eles superam o trauma do acidente. Voltam a se entender quase como antes. A mesma química está lá. Ainda existe alguma desconfiança – natural e compreensível diante da situação.

- É muito legal vê-los se aproximando, se apaixonando e se amando novamente e entender que Renzo ganhou uma família e aprende a lidar com isso, afinal de contas, ele era um solitário - ninguém poderia imaginar que aquele rapaz charmoso e galanteador do início do livro tinha uma história tão intensa de rejeição para superar de vez.

- Para sorte dele, de Mandy e a nossa, é uma história que terá final feliz. E deixará ótimas lembranças em seus leitores.

- E eu estava com saudades dos livros desta autora. Fazia tempo que não pegava algo com italiano onde ele não fosse um mala sem alça vingativo e juiz e carrasco ao mesmo tempo. Muito bom saber que existem opções melhores de passar meu tempo...

Bacci!!!

Beta
Reações:

5 comentários :

  1. Também adorei este livro, principalmente quando mostra um italiano não sendo tão arrogante. Lindo livro.

    ResponderExcluir
  2. Concordo com você, Beta: até agora não li nenhum livro ruim desta série.

    Fiquei emocionadíssima quando li este livro. Achei terno, espirituoso e de muita sensibilidade.

    Vale a leitura, pessoal!

    Beijos,

    ResponderExcluir
  3. Ciao, Ili!

    Se não me engano, esta autora é cada com um italiano, então ela deve saber do que está falando. Afinal de contas, não é possível que só exista italiano mala no mundo!!!
    O livro é mt fofo e totalmente recomendado!

    Bacci!!!

    ResponderExcluir
  4. Ciao Andrea!

    Como já está ficando repetitivo, não consigo resistir a um "Baby on Board" e por enquanto está valendo a pena. :)

    Bacci!!!

    ResponderExcluir
  5. Pessoas linnnnnnnnnnnnnndasssssssssssssss...
    Passando aqui para escrever um pouco sobre Lucy Gordon - Herança de Amor (Renzo Ruffini e Mandy Jenkins).

    Ah... Que história linda de viver! Leve, com protagonistas mais próximos da realidade e do sonho, do que alguns sobre os quais lemos e que parecem ir da realidade ao inferno, quase sem chance de terminar em sonho realizado...
    Renzo Ruffini e Mandy Jenkins, desde os primeiros diálogos, transitam entre o entendimento mútuo e a irritação, mas passam um a morar na mente do outro; ela se impressiona com ele cada vez mais, assim como ele se deixa consumir pela presença dela, até que, de fato, e diante da morte próxima, ambos, honestamente, se deixam amar, sem limites.
    Mesmo sem Renzo, Lucy Gordon constroi para a protagonista um cenário onde o próprio Renzo vive dentro e fora de sua memória (nas fotos que ela mostra para o bebê Danilo - lembrando: Renzo chama-se Lorenzo Danilo Ruffini); nesse cenário, Mandy vai vivendo cada dia depois do outro, até que reencontra Renzo, um outro homem (será que seu Renzo ainda mora dentro desse outro "estranho"?) no mesmo audacioso playboy que ela conheceu (e amou!) em Chamonix...
    A autora é muito feliz ao fazer um reencontro cercado da dúvida, da memória que vem e que vai, da reconstrução de um amor que nunca morreu (para ela, vivo dia e noite na memória e através do filho; para ele, vivo a noite, sem que ele soubesse quem era a gatinha de olhos verdes ou a mulher que o atormentavam nos sonhos...). Renzo, aos poucos, reconstroi suas lembranças; mas ainda falta construir um espaço para amar seu filho Danilo... E a autora, mais uma vez, é muito feliz nessas etapas, nesse "step by step" de reconhecimento do amor de pai para o filho!
    Lucy Gordon será minha autora da semana... vou tentar ler tudo o que tenho dela no HD... Espero que siga a linha leve e amorosa, porque, de tanto ler sobre sheiks, maridos machões, magnatas gregos e playboys, precisava mesmo desse romance leve e nada cáustico, que me prendeu a atenção e o coração, por uma madrugada!!!
    Super recomendo!!!
    Beijo no coração de todas!!!

    ResponderExcluir