domingo, maio 22, 2011

Imagem retirada do site Mulheres Românticas

Comprei este livro no sebo, movida pela mais profunda e irrestrita curiosidade. Afinal de contas, nunca havia ouvido falar dele.

 Ok, eu admito: é muita cara de pau da minha parte querer conhecer todos os livros que a Nora lançou, já que ela publica algo entre mil e um bilhão por ano (e eu tenho fé de que ainda lerei a maioria: OREMOS!)

Uma Paixão Indomável – Nora Roberts – Coleção Primeiros Sucessos 05
(Untamed – 1983 – Silhouette Romance)
Personagens: Jovilette “Jo” Wilder e Keane Prescott

O dono do circo havia morrido e agora o filho dele, que nunca tinha pisado no circo, tinha o poder de decidir o futuro da trupe. E Jo Wilder, a domadora de leões, não estava absorvendo bem as mudanças. A perda de Frank – o mais próximo que ela chegara de ter uma família após a morte dos pais. Só não contava sentir uma grande, quase incontrolável, atração pelo inimigo. E até o final da temporada itinerante, muitas coisas poderia acontecer...

Comentários:

- Coincidência 1: quando este livro chegou às minhas mãos, estava em um revival da Xuxa (não perguntem o motivo) e na época da lambança justamente da música “A gente gosta de brincar de circo, dar cambalhota, fazer palhaçada...”

- Coincidência 2: Eu adoro circo. Sou absolutamente fascinada pelo espetáculo. Acho que tem uns quatro ou cinco anos que fui pela última vez. Parece que volto a ser criança (com direito a me entupir de algodão doce).

- Agora vamos a outro ponto legal: a Nora pesquisou sobre este estilo de circo, tradicional e com animais (algo em extinção atualmente por conta do maior rigor com a presença de animais em espetáculos), a gente percebe o detalhismo na rotina de uma trupe em turnê pelos Estados Unidos e o que a rotina exige deles, dentro e fora do picadeiro.

- Apesar disso tudo, confesso que achei a história um tanto arrastada (ok, eu estava em uma maratona onde almoçar tinha virado luxo e, quando fico sem comer, me torno um monstrinho pessimamente humorado). 

- Apesar do motivo da separação “ela é do circo. Ele é da cidade. Os mundos não se misturam e alguém terá que ceder.” Só achei a heroína muito teimosa e o herói fechado demais.

- Ambos tinham pré-conceitos demais sobre o outro e demoraram para interagir , trocar ideias e desfazer más impressões. 

- Enfim, li para constar na minha lista. Pelo menos, sei que a Nora pode fazer mais que isso. E é o que me consola. Aguardo seus comentários para saber se o livro foi prejudicado pelo meu mau humor.

Arrivederci!!!

Beta

ps.: Pesquisando atrás da foto da capa, achei este link, da primeira publicação dele no Brasil.


Reações:

4 comentários :

  1. Amo NR , e como tantas outras autoras de romance q admiro, nem sempre ela faz óimas histórias, mais sou fãnática por ela!

    ResponderExcluir
  2. Oi, Beta!

    Bem, não é segredo que eu não curto muito Nora Roberts e tenho a sensação de que não é ela quem escreve todos os livros, mas sim o grande número de "ghost writers" que ela aprisiona no porão da casa dela! kkkkkk

    Só isso explica a disparidade tão grande entre um livro e outro...

    De qualquer forma, respeito quem gosta, mas não faz meu gênero, não.

    Berijos!

    ResponderExcluir
  3. Parece uma história interessante, apesar dos contras ^^ Eu só li um livro da Nora até hoje e gostei muito! Tenho vontade de ler outras histórias =)

    ResponderExcluir
  4. Escrevendo para dizer que adorei aquela capa nova de Harlequin !

    ResponderExcluir