sábado, janeiro 27, 2018

Ciao!



Eu ando precisando de livros fofinhos, mas não foi o caso aqui.
Foi tenso, intenso, complexo e está só no início.

Corpo – Audrey Carlan – Verus
(Body - 2015)
Personagens: Gillian Callahan e Chase Davis

Um homem e uma mulher se conhecem em um bar. Seria uma cena corriqueira, se a mulher, Gigi Callahan, não tivesse motivos de sobra para fugir de quaisquer relacionamentos afetivos. Mesmo por homens arrasadoramente sexies como Chase Davis. Só que o destino os coloca frente a frente de novo: ele é o chefe da fundação onde ela trabalha. E Chase não estava disposto a abir mão da mulher que o fez sentir o que nenhuma outra conseguiu.

Comentários.

I opened up my heart but all I did was bleed
I don't need no lover, just to get screwed
They don't make a bandage that is going to cover my bruise

- Ao contrário da série “A garota do calendário” onde o sexo era a válvula de escape e de autoestima de Mia, aqui ele é o elefante maligno na sala de porcelanas de Gigi. A confiança dela foi abalada por um relacionamento abusivo (não é spoiler, a informação consta no resumo da contracapa. E o assunto é insinuado em boa parte do livro até ser propriamente tratado). Por isso, a profissional confiante, competente e segura que trabalha com arrecadação de donativos para Safe Haven, que apoia mulheres vítimas de violência, precisa se controlar e não entrar em pânico e fugir diante da manifestação de interesse de um homem arrasa-quarteirão como Chase Davis. Ela quer voltar a se sentir desejável e natural diante de um admirador, mas não está pronta para confiar em alguém ou em si mesma sobre isso.

- E vamos ser sinceras, Chase é lindo, sexy, milionário, mas o comportamento dele, em vários momentos, me deixou desconfortável. Mesmo que estivesse munido das melhores intenções, tive uma sensação quase claustrofóbica. Entendi as motivações dele (e os traumas que o levaram a agir assim), mas, por mais afinidades, compatibilidades e química, senti um descompasso entre os dois. Como se estivessem em rotações diferentes e só ela se ajustasse às opções que ele considerava serem as melhores (o impasse em determinado momento envolvendo a carreira dela e a forma como é solucionado é um dos exemplos disso).

- A primeira parte do quinteto serve para apresentar os personagens: quem são, desenrolar alguns de seus segredos e traumas, como reagem ao que sentem um pelo outro e ao se verem diante de características que os desagradam/assustam. Também conhecemos seus escudeiros – no caso dela, as amigas Bree, Kate e Maria (amei a história do “Besos”, ainda mais quando a gente percebe de onde veio) e Phillip e Annabelle. No caso dele, confesso que fui muito mais com a cara do Austin que do Jack (embora também compreenda as razões dele) e gostei dos primos legais do Chase. E a autora apresenta a ideia por trás do nome da série e dos livros que a compõem – gostei de entender essa base, porque nos ajuda a situar os personagens, seus desejos e desafios a serem enfrentados e superados.

- E se você detesta ganchos “malignos”, então nem comece a série antes de ter os cinco livros. Porque é óbvio que o final deixa pontas abertas para as sequências – e a reta final aponta o que eu creio que deva ser o grande plot que irá costurar os próximos livros. E não será moleza, não. Audrey Carlan dá pistas de que fez bem a pesquisa antes de tratar o tema que escolheu e não pega leve com os personagens, mostra que a violência não tem cara, raça, status social.
Infelizmente já vi essa mulher antes, e ela é horrorosa. Minha maçã do rosto ainda está inchada, embora bem menos que na noite passada. Um hematoma berrante, roxo e amarelo, se espelha da bochecha até a linha do cabelo e a atadura em cima do meu olho direito. Puxo os esparadrapos, removendo o curativo, e dou uma boa olhada nos pontos. São cinco, acompanhados por uma substância laranja-escura pegajosa. É o iodo que usaram para preparar a área. Não é a primeira vez que levo pontos depois de um ataque. E espero que seja a última. Suspiro. Quantas vezes já olhei para esta mulher feia no espelho. Vezes demais
Só lembrando que se você está passando por isso ou conhece alguém que esteja, busque ajuda e denuncie. Você não está sozinha!

Série Trinity
Body - Corpo
Mind - Mente
Soul - Alma
Life - Vida
Fate - Destino


Bacci!!!

Beta

Ps.: Caso não conheçam, a citação que abriu a parte dos comentários é a música Something for the pain, do Bon Jovi.
Reações:

0 comentários :

Postar um comentário