domingo, abril 22, 2018

Ciao!






A Mary Balogh tem um jeitinho de contar histórias que chegou de mansinho e construiu uma cabana fofa, amável e aconchegante no meu coração de leitora compulsiva.
Deu pra entender que eu gostei muito do livro e quero ler a série inteira, né?

Uma proposta e nada mais – Mary Balogh – Editora Arqueiro
(The proposal – 2012)
Personagens: Gwendoline Grayson, lady Muir e Hugo Emes, lorde Trentham

Duas pessoas marcadas pela solidão e pelo sofrimento se encontram de forma inesperada em uma praia. Hugo socorre Gwen, que torce o tornozelo e a leva para a Penderris Hall, a sede informal do “Clube dos Sobreviventes” na Cornualha. Seis homens e uma mulher com uma trajetória que se cruzou nas perdas causadas pela guerra. Gwen e Hugo não eram nada indicados um para o outro: uma jovem viúva e um soldado que ganhou título ao sobreviver quando outros morreram. No entanto, não é bem assim que as coisas vão acontecer entre eles.

Comentários

- Chegou um momento de decisão na vida de Hugo Emes: agora lorde Trentham, deveria assumir a herança do pai, morto um ano antes. Isso significava abandonar a sua segura e calma vida no campo e aceitar as responsabilidades de cuidar da apresentação social da meia-irmã e lidar em um meio social onde se sentia desconfortável – a aristocracia, agora que ele tinha um título por conta da bravura na guerra.

- Ao comparecer à reunião do “Clube dos Sobreviventes”, informou a necessidade de mudar o rumo da vida e acabou desafiado a propor casamento e impressionar a primeira jovem que encontrasse com o seu título. Isso tudo ocorre no prólogo e por que estou contando? Por que recentemente me disseram para não pedir pelas coisas, situações e sentimentos para os quais não estamos preparados... vai que resolvem atender o pedido? Foi isso que houve com Hugo. Ao “desafiar” o universo, testemunhou uma jovem torcer o tornozelo e não conseguir se locomover e resolveu ajudar.

- Gwendoline estava caminhando pela praia, “aproveitando” (entre aspas mesmo) a solidão e também revendo algumas decisões recentes da própria vida. Até se machucar e se encontrar dependendo da ajuda de um estranho, enorme, gigante e carrancudo e ir parar no local onde disseram para ela não ir. 
“(...) Além do mais, detesto a ideia de deixar de fazer algo por medo. (...) O medo deve ser desafiado, foi o que descobri. Ele fica poderoso quando permitimos que nos domine” 
- É uma história sobre perdas, sobre recomeços, sobre culpas, sobre perdoar a si mesmo e sobre como prosseguir quando a própria consciência não lhe dá trégua. É um livro ditado pelo ritmo de seus protagonistas, que escondem suas delicadezas e vulnerabilidade atrás de uma fachada social: “a dama” e o “herói de guerra” e que são mais que isso. Os dois tentam racionalizar o que não dá pra conter com bom senso: surgiu atração e paixão entre eles.  

- Através do “não-romance” entre Gwen e Hugo, a gente entende as particularidades com que os seres humanos se conformam em suas vidas. O quanto deixamos as dores, os julgamentos e a influência de outros nos moldarem – nem sempre isso é para bem. Os dois estavam em um estágio de insatisfação, sabiam que precisavam mudar e temiam dar este passo. Por isso, o encontro deles de aleatório não teve nada – um seria o impulso para o outro finalmente sair do marasmo em que estava preso. 
“- É o que fazemos uns pelos outros – corrigiu ele. – Todos nós precisamos ser amados, Gwendoline, de uma forma plena e incondicional. Mesmo quando carregamos o fardo da culpa e acreditamos não merecer amor. A verdade é que ninguém merece. Não sou religioso, mas acredito que é disso que tratam as religiões. Ninguém merece, mas ao mesmo tempo, todos nós somos dignos de amor” 
- Não será fácil. Haverá idas e vindas, decisões impensadas ou repensadas, algumas dúvidas, sofrimentos e inseguranças. Toda mudança faz isso, tira a gente do confortável até chegarmos ao novo patamar (quando bem-sucedida, claro). Eu me encantei por eles, do jeito que são e quem se tornaram após se conhecerem. Assim como aconteceu com os Bedwyns, cá estou eu de novo apaixonada pelas tramas e personagens tecidos por Mary Balogh, quero saber tudo sobre os outros integrantes do Clube dos Sobreviventes e mal vejo a hora de ler a próxima história dela.

Clube dos Sobreviventes:
1 – The Proposal - Uma proposta e nada mais
1.5 – The Suitorainda sem título em Português
2 – The ArrangementUm acordo e nada mais
3 – The Escape – Uma loucura e nada mais
4 – Only Enchanting – ainda sem título em Português
5 – Only a Promise – ainda sem título em Português
6 – Only a Kiss – ainda sem título em Português
7 – Only Beloved – ainda sem título em Português


Bacci!!!

Beta
Reações:

0 comentários :

Postar um comentário