sexta-feira, abril 27, 2018

Ciao!




Sim, Vingadores: Guerra Infinita chegou aos cinemas.
* Antes que eu me esqueça: SEM SPOILERS. A menos que não queira mais conversar comigo. *
Este livro traz informações sobre a terceira aventura do Deus do Trovão – que foi lançada no fim do ano passado e está intimamente ligada à aventura ou desventura mais recente.

Thor Ragnarok: o livro oficial do filme – Jim McCann – Novo Século
(Thor: Ragnarok – 2017 – Marvel)
Personagens: Thor Odinson tenta evitar o Ragnarok

Com uma sensação de que algo ruim se aproximava desde a batalha contra Ultron, Thor retorna à Asgard tentando descobrir qual é o problema, mas encontra sua terra natal bem diferente. Isso desencadeia uma série de fatos que leva o Deus do Trovão a um planeta, onde há uma arena de gladiadores, o reencontro inesperado com um amigo e a buscar um plano arriscado para tentar evitar que o fim do mundo ocorra.

Comentários:

- A primeira coisa que, quem viu o filme, precisa saber é: o livro tem muitas cenas diferentes. Isso serve para bem e para mal. Para bem, gostei de ver outras opções de desenvolvimento de personagens e de situações na jornada de Thor contra o Ragnarok. Para mal, o livro termina em um ponto diferente do filme – então, eu senti falta de algumas coisas que eu sei que acontecem.

- Como eu faço parte da turma que viu os filmes (todos os do Thor – faço parte da pequena parcela que gosta deles – várias vezes e, também, Os Vingadores e a Era de Ultron – sim a fã do Batman é uma “Marvete” no cinema), conheço a forma como o personagem foi construído na cinessérie. Vi muito da trajetória do Thor na história e, se alguém não gostou, o livro tem menos do humor desvairado da versão do cinema. 
“- Não sou um sussurro. Não sou uma possibilidade – anunciou Hela, o tom de voz aumentando como uma tempestade que se aproximava. Ela fez uma pausa e todos os asgardianos sentiram que a mulher olhava diretamente para suas almas temerosas. – Sou uma inevitabilidade”.

- Temos Hulk esmagando e Bruce Banner meio perdido no espaço – literalmente. Os coadjuvantes são citados muito brevemente, como dois dos Três Guerreiros e o Skurge. Ah, Heimdall também está entre os pontos negativos pela forma como (não) foi usado no livro (porque ele é um dos meus personagens favoritos).

- O livro poderia ter explorado melhor duas personagens femininas fortes e antagônicas. A Valquíria, aqui tem o mesmo ar de guerreira que não se importa com nada mais, mas as pessoas não entendem os motivos que a levaram a isso – além do que ela soa mais insensível que em rota de autodestruição. E Hela não tem espaço para ser a vilã que quer botar fogo no parquinho em Asgard, sem citar as causas por trás da motivação dela em destruir o reino de Thor, Odin e Loki.

- Ah, sim, Loki. Meu trapaceiro favorito. O vaidoso e nada confiável irmão adotivo de Thor é desmascarado e o acompanha na jornada pelo universo para tentar evitar o Ragnarok – sendo que, na mitologia nórdica, adivinha quem desencadeia o fim do mundo? Aham. Bela companhia. Mas (aqui o comentário é parcialmente tietagem e parcialmente fã de literatura) achei que o autor poderia ter explorado mais o fato da gente não saber o que ele fará em seguida e meio que sempre esperar o pior.

- A melhor parte é por focar demais em Thor (afinal de contas, ele é o protagonista, né?), ter muito da relação dele com Asgard, com os deveres com o seu povo e os Vingadores para proteger a Terra, explorar bem a amizade tapas-e-murros com o Hulk. Além disso, tem fotos e imagens do filme e “Uma história de Thor e Hulk”, traçando um paralelo entre as trajetórias dos dois Vingadores. Enfim, é uma boa opção de leitura, mas talvez deixe um gostinho de “faltou isso, aquilo e aquilo outro” para quem viu o filme.


Bacci!!!

Beta

ps.: E lá se foi mais um livro da minha Meta de Leitura 2018! Yay!
Reações:

0 comentários :

Postar um comentário