segunda-feira, junho 18, 2018

Ciao!



Sim, excepcionalmente uma resenha na segunda-feira. Afinal de contas, me distraí com a Copa do Mundo (gente, o Hummels estava em campo e eu gostei muito do goleiro da Suíça) e não consegui escrever pra publicar no domingo!
Como eu não gosto de deixar nada pendente, que tal conhecer um pouco sobre histórias de uma família em momento “bomba prestes a estourar”?

As filhas da noiva – Susan Mallery – Harlequin
(Daughters of the bride - 2016)
Personagens: Courtney, Sienna, Rachel e a mãe

As irmãs Watson estão às voltas com o noivado e casamento da mãe, Maggie, que, após anos de viuvez, encontrou em Neil um parceiro para a vida. Só que isso expõe tudo que elas tentaram ignorar: o quanto Courtney se sentia deslocada e inferior; como que Rachel não havia lidado bem com o divórcio de Greg e o quanto Sienna estava apavorada com a perspectiva de se casar com David. Até a mãe subir ao altar, muito iria acontecer na vida de todas elas...

Comentários:

- A história deste livro é uma daquelas que ressoa em muitos leitores. Maggie Watson perdeu tudo – inclusive a casa – com a morte do marido e ficou responsável pelas três filhas que eram pequenas. Ela foi acolhida por Joyce, a dona do hotel da cidade de Los Lobos, e teve um teto e apoio para se reconstruir.

- Durante os preparativos do noivado e do casamento, a gente vai entendendo os meandros da família e como a perda do pai afetou cada uma. Além disso, discutimos sexismo, estereótipos, construção de relacionamentos e da confiança entre as pessoas. Afinal de contas, as três garotas possuem segredos. E vão chegar o momento em que precisarão encará-los e enfrentá-los.

- Rachel, a mais velha, não só recebeu a maior parte da pressão com a perda do pai – as crianças mais velhas sempre querem assumir a responsabilidade de fazer tudo funcionar “como era antes” – como ainda teve que lidar com o próprio divórcio. Ela se casou com Greg Holocomb e todos percebiam o quanto eram loucos um pelo outro. Mas as dificuldades de cada um, de construir um relacionamento a dois e de ter um filho se impuseram e levaram ao erro, à decepção e ao rompimento. E ao fato de ela se deixar levar e precisar de um baque para perceber o quanto se detonou por causa disso.

- Sienna é a supereficiente funcionária da Helping Store, organização que ajuda mulheres vítimas da violência doméstica. No entanto, em se tratando da vida emocional, ela é uma bagunça. Depois de dois noivados desmanchados, foi surpreendida pelo rompante do namorado em pedi-la publicamente em casamento. Sem ter como recusar, levou em frente, mas a cada momento as dúvidas aumentavam sobre o que ela queria, o que David queria dela, o que ela sentia... E por mais que ela tentasse ignorar, uma hora tudo iria explodir e ela teria que tomar decisões definitivas.

- Courtney é a caçula, que teve dificuldades de aprendizado e destoava das irmãs. Precisou sair de casa, conhecer e quebrar a cara no mundo para voltar e encontrar algo que pudesse fazer. O problema era ver que ser camareira do hotel onde foi criada não satisfazia a mãe e Sienna. E por isso, ela nunca se sentiu confiante para revelar o quanto era além da “desastrada Courntey” ou o quanto não gostava de dizerem “dar uma de Courtney” ou que a mãe dissesse que adorava “as filhas... e a Courtney”.

- Ou seja, o mais importante deste livro não passa pela realização emocional vinculada a um homem (sim, haverá a parte relacionamentos amorosos das três), mas o pulo do gato está nas garotas – e na mãe delas - finalmente lidarem com os próprios sentimentos. Muitas pessoas tendem a ser as suas piores inimigas, por se cobrarem excessivamente e por não serem generosas e saberem perdoar a si mesmas. Rachel, Sienna e Courtney possuem vários fantasmas a serem enfrentados e superados – interna e externamente. Elas precisavam encontrar as verdadeiras bases de sua autoconfiança. Assim se tornariam disponível para o melhor que a vida poderia lhes oferecer.

- Tem humor, tem abelhas, tem casamento, tem barracos, tem sentimentos escondidos, borbulhantes e explosivos. Eu gostei. Se for de um estilo que te agrade, pode ser uma boa opção.

Confira o booktrailer (em Inglês)


O livro é o início de uma série? Não. A própria autora explicou que ele foi concebido como um “standalone”, ou seja, história única.


Mas... Ele se passa em Los Lobos, mesmo cenário de outras duas histórias dela e vocês vão perceber que os personagens deste livro interagem com os protagonistas anteriores.
(Harlequin, não ficaria chateada se estes dois livros fossem publicados no Brasil, tá?) 


Bacci!!!

Beta
Reações:

2 comentários :

  1. Eu já tinha escanteado esse livro Beta! A sinopse não chamou minha atenção e eu ainda ando com rancores, nada secretos, da Harlequin.
    Mas, essa resenha super linda fez com que eu voltasse atrás na decisão. Afinal, já li outras coisas da Susan e gostei.
    Obrigada ;*


    P.S: Harlequin muda, mas continua a mesma coisa... Sempre publicando as coisas na louca.

    ResponderExcluir
  2. Oi Beta.
    Comecei a leitura ontem e também estou gostando da história. Como você, também tive curiosidade de saber mais sobre e descobri sobre esses outros livros. Tomara que a dona Harlequin resolva trazer. Sua resenha ficou uma delícia. Bjus
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir