domingo, setembro 02, 2018

Ciao!


Há aquele tipo de pessoas que, quando encontra uma muleta para superar uma decepção, vai fundo. Eu sou dessas: muitas vezes, a leitura foi essa muleta.
Isadora encontrou a astrologia. E deu nisso...

A propósito, mais um livro riscado na minha Metade Leitura 2018

Os 12 signos de Valentina – Ray Tavares – Galera Record
(2017)
Personagens: Isadora Mônaco/Valentina

O fim do namoro de Isadora com Lucas foi traumático: uma traição exposta publicamente para todos os amigos e amigas na festa de aniversário dela. Foram meses trancafiada e empurrando a vida, sem encontrar o rumo, até ser forçada pela prima a sair de casa, enfiar o pé na jaca e encontrar uma mulher que deu o motivo: os dois eram de signos incompatíveis. Disposta a verificar isso, Isadora cria o blog “Os 12 signos de Valentina”, o que a fará ter novas experiências, lidar com os fantasmas e se envolver em algumas confusões.

Comentários:

- O ponto de partida foi a descoberta pública de que era traída. Muitos traumas de uma vez só. Isadora se isolou do mundo e ficou obcecada em saber o que Lucas, o ex, estava fazendo. Até que Marina, a prima, a tirou de casa, levou para a balada, Isadora enfiou o pé na jaca e ouviu o conselho da faxineira: “os signos de vocês eram incompatíveis”.

- A partir do interesse pela astrologia e da obrigação de criar um blog e postar sobre um tema para a matéria de jornalismo online na faculdade, Isadora cria “Os 12 signos de Valentina”, onde ela relataria a experiência com um homem de cada signo. Vantagens, desvantagens e como eles beijavam.

- O livro é leve, bobo em alguns momentos (assim como nós na vida real passamos por uns momentos “bobeira pega”), se permite pincelar sobre temas atuais (exemplos: uma mulher agir como se espera de um homem e ter relacionamentos relâmpagos? “A vagabunda do zodíaco”, “passando o rodo no zodíaco”. Sororidade – ou a falta dela. A necessidade de buscar informações sobre quem te magoou nas redes sociais. O quanto é desnecessário colocar a nossa felicidade na dependência de outra pessoa. E o quanto a gente não imagina que há sofrimentos piores e talvez incuráveis que os nossos) enquanto mostra a jornada de recuperação da autoestima e o amadurecimento da futura jornalista.

- Sim, amadurecimento. A gente cresce com a cabeça cheia de valores, de certezas e, por que não, de fantasias. Nem sempre todos eles estão certos ou se concretizam nas nossas vidas. A gente se decepciona, se frustra, fracassa, tropeça, leva na cara. Há aquelas pessoas divas, maravilhosas, que levantam, sacodem a poeira e dão à volta por cima. E há outras que se afundam na tristeza e no sofrimento até perderem a noção de onde está a saída. Isadora levou uma porrada das boas, criou Valentina como um escudo para voltar a enfrentar o mundo, será forçada a tomar decisões e não há garantias de que irá acertar de cara. Isso é vida.

- Como eu gosto de astrologia – basicamente uso como forma primária de entender personalidades, porque cada um é único – o livro me interessou também por este aspecto. Ainda mais porque ela escapou do “óbvio” de tacar pedra no meu signo – Escorpião e soube brincar com os esterótipos associados a cada um dos 12 signos do zodíaco.

- #MadreHooligan também leu. Elogiou o relacionamento da Isadora com a mãe, reclamou que ela bebe demais (é que eu não gosto de bebida alcoólica, então sou o pior padrão de comparação), cobrou um pouco mais de esperteza da protagonista (tivemos que discordar que nem todo mundo reage rápido diante das porradas da vida), mas, no geral, achou divertido.

- No geral, foi uma leitura satisfatória, tanto ao mostrar a protagonista aprendendo a viver de uma forma mais saudável para si mesma quanto ao brincar com os rótulos associados ao zodíaco.

- Links: Goodreads livro e autora; site da editora; Skoob.

Bacci!!!

Beta

ps.: Lagartixa Roberta?! Sério?! Fiquei curiosa em saber o motivo da escolha do nome...
Reações:

0 comentários :

Postar um comentário