sexta-feira, setembro 07, 2018

Ciao!



Eu e os livros da Vanessa Bosso já nos desencontramos tanto que daria outro livro. Mas agora chegou ao fim: tive a oportunidade de ler “Amar tá osso” e...

... #MadreHooligan já estava toda se assanhando pra ele “Parece que é bem bonitinho. Você vai demorar muito pra acabar?”

Amar tá osso – Vanessa Bosso – Astral Cultural
(2018)
Personagens: Cleo e Danton

A vida profissional de Cléo ia bem, mas a pessoal estava um tanto bagunçada após um relacionamento ruim. Até o momento em que ela socorreu uma cadela baleada e levou para a clínica onde trabalhava, a Franciscão. A partir disso, começou a lidar com uma série de situações que para ela eram inexplicáveis, mas como nada é por acaso, tudo tinha um motivo. Bastava Cléo ter paciência e sabedoria para discernir quais eram e como deveria agir para ter um futuro melhor.

Comentários:

- Ok, eu sou “gateira”. Mas cachorros me perseguem – literalmente. Acho que eles sabem que eu tenho medo e partem como teleguiados na minha direção: vale para vira-latas, poodles, poodles-toy, Yorkshire, fila (já deu pra entender, né?). De vez em quando um ou outro não me deixa com tanto medo e eu consigo agir como um ser humano normal perto deles.

- Escolhi este livro sem a menor ideia do que se tratava. Foi intuição. Nem li sinopse. Olhei a capa, o título e algo me disse que combinava comigo. Como não costumo discutir com a minha intuição, ele veio parar aqui em casa e no Literatura de Mulherzinha.

- O livro me surpreendeu por ir além do que eu esperava: uma história de amor. É isso, mas também destaca que cada um de nós pode fazer o melhor com os dons que recebe e que nada ocorre por acaso. Cleo era uma pessoa feliz na carreira que escolheu: veterinária. Tinha uma clínica, estava ao lado da irmã e de um amigo. Conhecia os policiais do bairro. Esforçava-se para salvar as vidas que chegavam à Franciscão.

- Como nada é perfeito, ela estava incomodada com o fato da vida amorosa ser um desastre. E ao ser convencida pela irmã a consultar uma vidente e se deparar com uma previsão que a assustou, foi embora, mas continuou pensando nisso. Depois, se viu às voltas com uma cadela ferida em um tiroteio e com um dono assustado. E então as situações começam a mostrar pra ela que a previsão da vidente tinha sentido, sim e ela poderia descobrir.

- Estou tentando não contar muito da trama porque há detalhes que vocês precisam descobrir por conta própria. Sim, acredito em livre-arbítrio, assim como acredito que podemos transformar nossa vida sempre no melhor, basta fazer as escolhas certas – e com isso não quis dizer as fáceis. Nem sempre o certo é fácil, agradável e indolor. A gente também aprende a conduzir a própria vida, sem se preocupar ou invejar a vida alheia, até porque a gente não faz ideia da cruz que os outros carregam. Já basta cuidar da nossa, né?

- E para quem é apaixonado por catioros, é o livro para seu coração. Eles são personagens importantes no livro, possuem personalidades marcantes e até eu – gateira assumida, como você leu há pouco – queria ter um momento felícia com o Loki e o Osho (amei os nomes).

- Enfim, leitura recomendada. Superou minhas expectativas e agora que parei de desencontrar com as histórias da Vanessa Bosso, que venham as próximas! Enquanto isso, “Amar tá osso” vai pras mãozinhas ansiosas de #MadreHooligan!


Bacci!!!

Beta

Reações:

0 comentários :

Postar um comentário