sábado, setembro 15, 2018

Ciao!

Neste mês, a Flávia Cunha está lançando a Trilogia Irmãos Bennett em e-book único. Isso me inspirou a ler a 2ª história da série e eu posso antecipar que gostei.

David – Flávia Cunha (Trilogia Irmãos Bennett 2)
(2012)
Personagens: Mary Cardwell e David Bennett

Mary nunca saiu da mente e do coração de David até que aconteceu o impossível: ela apareceu viva em sua cidade com uma criança pedindo ajuda. E sem se lembrar dele! Mary sabia que precisava proteger a si mesma e a pequena Lily e a intuição dizia para confiar no nome que trazia tatuado no corpo. Enquanto busca lembrar quem era e o que viveram, David assume a missão de protege-la do perigo que a perseguia.

Comentários:

- Ah que história linda de amor! Amor recuperado, amor presente e amor futuro. A gente não tem a indefinição de “será que ele/ela me ama?”, porque já está estabelecido que David e Mary se apaixonaram de forma fulminante. E eles iriam realizar o projeto de começar uma vida juntos, quando houve o acidente e ela foi dada como morta, ao lado das duas amigas.
Ele disse e abraçou-a, agradecendo a Deus por ela estar viva, por ter ido até ele. Não se importou em esconder as lágrimas, ou com o fato de que a estava apertando tanto em seus braços que ela provavelmente não conseguia respirar. Tinha acontecido um milagre. Sua Mary estava viva! Sim, porque agora tinha certeza. Aquela era Mary.
- Por isso, imagina a cara e o coração de David quando Mary ressurgiu na frente dele, em Springville, dirigindo um carro e trazendo uma bebê, Lily, a filha deles? Como nem tudo era perfeito, ela havia perdido a memória como consequência do acidente e não se lembrava dele e do que viveram, apenas seguiu a intuição de que deveria procurá-lo. Foi acolhida por David e os Bennetts, encantados em conhecer a jovem que havia laçado o cowboy famoso da família.

- No entanto, ainda havia perigo à espreita. Nada que David, os irmãos e amigos não estivessem dispostos a enfrentar para proteger as novas integrantes da família.

- Temos flashbacks que vão contando ao longo da história como começou e se desenvolveu a atração, a paixão e o amor entre Mary e David. A tristeza que ele ficou após “perdê-la” e todo cuidado que toma ao “recuperá-la”. Isso cria até algumas situações desconfortáveis para ele ainda mais perante os parentes, que não perdem uma chance de implicar (e sinto que no livro do Lucas pode rolar um “tudo que você faz, um dia volta para você”, como diz Boomerang Blues, do Renato Russo). No fundo, ele só quer defender e cuidar da família que pensou que não poderia ter e que a vida trouxe de volta.

- Foi leve, foi rápida, uma excelente pausa entre os livros mais tensos que estava lendo. Gosto de histórias assim – que envolvam parentes, tenham momentos engraçados, personagens que já conhecemos (e como eles estão) e outros que queremos conhecer e que a gente sabe que vai dar certo no fim. Ando precisando disso para lidar com a insanidade da vida real. E agora, que venha (se Deus permitir, em breve), Lucas.

Trilogia Irmãos Bennett

- Jacob 
- David
- Lucas




Bacci!!!


Beta
Reações:

0 comentários :

Postar um comentário