quarta-feira, abril 17, 2019

Ciao!




Sem fôlego. Este livro me deixou assim em boa parte dele.
Até porque as coisas ocorrem de forma vertiginosa e a gente não consegue parar até saber como vão terminar!

*** Texto originalmente escrito para o Histórias Sem Fimque a Ana Carla gentilmente permitiu que fosse publicado também no Literatura de Mulherzinha! Obrigada, Ká! ***

Uma coisa absolutamente fantástica – Hank Green – Seguinte
(An absolutely remarkable thing - 2018)
Personagens: April May, Andy, Maya, Miranda, Robin, Carl e um monte de gente

Um robô aparece em Nova York e April May e Andy decidem fazer um vídeo falando sobre o que pensavam ser um trabalho de um artista. Foi o ponto de partida para a descoberta de que havia outros 63 “Carl” – como April May o batizou – espalhados pelo mundo. Pouco se sabe sobre eles. E decifrar este mistério se torna uma obsessão para April May e os amigos e os irão levar a conflitos, com quem considera os robôs uma ameaça, haters, muitos muitos mas muitos mesmo problemas e pode colocar mais que o acreditam em risco.

Comentários:

- Como é que se explica este livro? Não sei. E como é que se fala sobre ele sem falar o que não deve? Juro que vou tentar...

- O livro fala sobre a humanidade e a falta dela, usando como catalisador o aparecimento de 64 robôs em diferentes pontos da terra. A narradora da história é April May, uma designer de 23 anos. Ela percebeu a presença do robô em Nova York e não hesitou em chamar o melhor amigo, Andy para fazer um vídeo de madrugada, onde ela interage com o que pensa ser uma instalação artística e o batiza de Carl.

- A partir da descoberta de que Carl Nova York não era o único, April May se vê impelida a ser a pessoa que conta esta história, por uma série de razões. No entanto, quando a presença de Carl passa a ser questionada, ela se torna a porta voz dos que acreditam que os robôs não eram uma ameaça. E parece atrair cada vez mais confusão, se tornar alvo e perceber que está no epicentro de algo nunca enfrentado antes pela humanidade.
“April, você não faz a menor ideia. Não tem a menor noção do que está fazendo. Só está tentando achar um público pra te amar, porque não sou o bastante. Bom, isso também não vai ser suficiente, mas acho que você vai ter que descobrir sozinha” 
- No processo para se tornar a voz da história de “Carl”, April May deixa de ser cada vez ela mesma. Ela ignora conselhos de Andy; de Maya – a garota a quem chegou mais perto de amar sem assumir; de Miranda e de Robin, que se uniram ao grupo na jornada sobre Carl. E mesmo narrando, ela não se omite dos erros (apesar de querer justificar o que considerou ser o mais grave deles, mais ou menos no meio da história). As facetas de heroína e anti-heroína se misturam nas escolhas que ela faz, em vários momentos, traindo o melhor de si mesma. A gente acompanha todos os limites morais, éticos e até mesmo de autopreservação que ela se vê desafiada.

- Hank Green tem um bom ritmo de escrita, instigando quem lê a seguir em frente para saber o que acontecerá com a protagonista, o grupo que a acompanha, toda a atenção que ela procurou e despertou nos outros, os ataques de opositores. Ao mesmo tempo – mesmo que pela visão de quem narra –, aborda com como várias pessoas diferentes – incluindo April May – tenta tirar proveito da situação. Não haverá regras em um jogo onde vários querem lucrar e não hesitam em tirar outros ou mesmo sacrificá-los. 

- Tudo costurado pelo mistério-mor: o que são os robôs, de onde vieram e o que querem? Unir, observar ou destruir a humanidade? Ou será que eles não são os verdadeiros e/ou únicos “monstros” desta história?

- Ah, só pra constar: não sou habilitada a comparar a escrita dos irmãos Green, porque o único livro que li do John foi o Will & Will, que ele escreveu em parceria com o David Levithan. Então deixo para quem já passou por esta experiência, que ainda não tenho.

- Mas gostei do jeito Hank Green de contar histórias. Especialmente esta que tenta nos mostrar as consequências e decadência moral de vários personagens após uma coisa absolutamente fantástica.

Se quiser saber mais um pouco, veja o livro nas palavras do autor no vídeo abaixo, publicado no canal da Barnes & Nobles (legendas em Inglês)


- Links: Goodreads livro, série e autor; site do autor; site da editora; Skoob.

Arrivederci!!!

Beta
Reações:

0 comentários :

Postar um comentário