sexta-feira, abril 05, 2019

Ciao!



Eu disse que teríamos surpresas pela frente, né? Abrindo a temporada das Entrevistas no #AbrilImperdível14, minha querida Flávia Cunha!
Muito obrigada pela paciência e pelo carinho, Flavinha!

#LdMEntrevista: Flávia Cunha

1 - Quais são os seus planos para este ano: tem livro(s) ou conto(s) no forno?
Então, depois de um ano bem difícil por conta dos meus problemas de saúde, tenho fibromialgia, em que até escrever se tornou algo muito difícil, estou retomando aos poucos os projetos que eram do ano passado. Mas to fazendo isso devagar. Pra começar estou trabalhando em “Aqueça meu Coração”, mais uma história em Springville. Estou vendo se vai ser um conto ou uma novela, porque como disse estou escrevendo sem pressão. O que quero muito conseguir escrever esse ano ainda são os livros “Um Anjo ao Anoitecer” (o último livro da trilogia Irmãs Campbell) e “Encantada pelo Lobo” continuação da série Lobos de Springville. Fora alguns projetos infantis.

2 - O que te levou a criar suas próprias histórias e como foi a trajetória até publicá-las? Há uma dica pra quem também sonha com esse caminho?
Eu sempre amei ler. Muito. Desde criança. E minha mãe sempre foi uma leitora voraz de romances de banca. Ainda adolescente decidi tentar escrever algo parecido. Por ser muito tímida, deixei engavetado por um longo tempo até começar a publicar na comunidade Adoro Romances do Orkut. Depois disso, fui buscando formas de publicar e me encontrei com a autopublicação. Foi difícil, mas tenho que agradecer a propaganda boca-a-boca que as pessoas fazem desde a época do Orkut. As dicas são:
  • Escreva. Quanto mais você escreve, mais sua escrita melhora.
  • Insista. Levei não de editoras e depois eu mesma recusei alguns convites. Para mim, a autopublicação funciona melhor. Então foque no que você quer e corra atrás.
  • Divulgue. Eu estou sempre divulgando minhas histórias e buscando novas formas de atrair os leitores. 


3 - O que você mantém das suas histórias iniciais e em que você percebeu que se aperfeiçoou?
Eu mantenho o formato de romance de banca. É o estilo que gosto de ler e escrever. Eu leio, ouço as críticas dos meus leitores. Acredito que tenho me aperfeiçoado nesta maneira de escrever histórias curtas, intensas e clichês como um bom romance de banca deve ser.

4 - Como é o seu processo criativo? Escreve as ideias pra não perder ou fica com aqueles personagens "martelando" o tempo todo até você colocar a história deles no papel?
Meu processo é meio louco. Primeiro que não tem um processo. Eu gostaria muito de ser como as escritoras que dizem ter horário para escrever, cronograma e tudo bonitinho. Eu escrevo nos momentos que batem a inspiração. Se estiver em casa, vou para o computador e escrevo. Se não estou, escrevo no bloco de notas do celular, em cadernos, guardanapo... Às vezes surge uma cena inteira na minha cabeça e eu preciso anotar tudo o que eu puder para usar na história. Depois eu vou juntando esses pedaços e transformando em uma história. Eu sonho com as historias que estou escrevendo e acordo de madrugada para anotar. Eu observo as pessoas nos lugares, ouço pedaços de conversas na rua (de pessoas desconhecidas mesmo) e às vezes já imagino uma história... Enfim. É uma bagunça. Mas, uma bagunça que funciona para mim.

5 - Você ainda ouve o "você lê/escreve isso"? Como você lida com este tipo de abordagem baseada em uma suposta escala de valor e mérito?
(Digo isso porquê ainda topo com este tipo de comentário em pleno ano)
Sempre. Eu acho incrível como as pessoas tem preconceito com os romances de banca. Mas sabe o quê? Hoje em dia eu não me abalo mais. Tento mostrar que temos autoras maravilhosas nesse tipo de literatura e que não é uma literatura “menor”. No mais, foco em ler e escrever o que eu gosto, porque assim como eu, tem muita gente que gosta de ler romances. 

6 - Neste ano, o Literatura de Mulherzinha completa 14 anos. O que a Flavinha de 2019 diria à Flavinha de 2005 se tivesse essa chance?
Acredita mulher! Vai com tudo. Não precisa pseudônimo porque você realmente sabe escrever e as pessoas vão gostar das suas histórias. Apesar de que fui muito feliz com meu pseudônimo Lady Graciosa.

7 - Obrigada pela atenção e carinho e, pra encerrar, gostaria que você deixasse uma mensagem pra quem passar neste mês de aniversário da Literatura de Mulherzinha.
Acompanho o “Literatura de Mulherzinha” desde o início. Amo ler romances desde muito antes. Sempre acreditei que a leitura nos torna pessoas mais inteligentes. Quantas descobertas nós fazemos a cada livro? Quantas viagens sem sair do lugar? Nesse aniversário deseja a você beta e seus leitores, muitos livros em suas vidas! E que o blog continue nos brindando com as resenhas e dicas maravilhosas de leitura por muitos anos mais.

Bacci!!!

Beta
Reações:

0 comentários :

Postar um comentário