sábado, abril 27, 2019


Ciao!


E na reta final do #AbrilImperdível, uma entrevista um dos amigos queridos que os livros me trouxeram e um dos melhores abraços que já experimentei. Feliz niver, Vini! E muito obrigada por ter atendido meu convite!

#LdMEntrevista: Vinícius Grossos 

1 - O ano começou com a novidade de O Garoto quase atropelado ser traduzido para a América Latina. Qual foi a sua reação quando soube que seus personagens vão expandir fronteiras?
Oie! Primeiramente obrigado pelo convite, viu?!
Ter essa notícia foi surreal, e vou te explicar o motivo!
Quando minha agente me avisou da publicação, era algo que na verdade eu não esperava, mas que eu sabia que seria um passo imenso na minha carreira. Na verdade, desde a Bienal de São Paulo, eu fui informado que havia começado uma conversa para a publicação de O Garoto quase-atropelado na Colômbia. Até que, quando veio a notícia, que a EL Tiempo realmente queria publicar, fiquei sabendo que o livro iria ser distribuído em 7 países! Para quem vem da periferia do Rio e nunca nem saiu do país, isso é totalmente surreal!

2 - Você vai acompanhar processo de licitação tradução e escolha de capa? Vai ser uma só pra América Latina toda ou haverá mudanças conforme o país? Qual a previsão de lançamento?
Vou acompanhar sim! O processo ainda não começou, mas a Faro, minha editora no Brasil, cedeu os direitos de capa. Não sei se comercialmente esse tipo de capa vende bem lá fora, mas espero que sim! Caso contrário, sei que o livro está indo para outro país, com outra cultura, então sou totalmente aberto com mudanças. E sim, será uma edição para toda a América Latina e sei que será lançado ainda no segundo semestre deste ano!

3 - Eu vi nas suas redes sociais que o livro novo está em andamento? Em que pé está? Qual a previsão de ser lançamento? Você pode adiantar algo, uma pista pra gente?
O livro já está fechado… Os processos de capa e diagramação já estão para começar!
Eu não posso contar o mês, porque queremos lançar tudo de surpresa, de uma só vez! Mas será antes da Bienal…
E sobre pistas… Humm… Posso dizer que é diferente de tudo o que eu já fiz, apesar de ter o drama de O Garoto quase atropelado e o romance de 1+1, com a pitada de aventura de O Verão em que tudo mudou, sendo ambientada em outra época… Agora chega!

4 - A sua vida mudou do ambiente universitário para o mundo "adulto". De que forma as experiências desta nova fase da sua vida contribuem para criação de futuras histórias?
Eu vou continuar escrevendo livros jovem-adulto, de fato. Mas a minha maturidade e imersão na vida adulta muda a forma como eu consigo transmitir as mensagens que eu quero passar. Minha escrita está mais sólida e polida, e isso vai ser sentido neste próximo romance.
Porém, minha essência está lá! A adrenalina da adolescência está lá.

5 - Qual dos livros você leu neste ano que recomenda pra gente que está lendo essa entrevista?
Eu amei o novo do Markus Zusak, O Construtor de pontes.

6 - Neste ano, o Literatura de Mulherzinha completa 14 anos. O que o Vinícius de 2019 diria ao Vinícius de 2005 se tivesse essa chance?
Você vai quebrar muito a cara, vai sofrer, mas não desiste. Você vai conquistar coisas que nunca nem imaginou!
E ah, sinto orgulho de quem você se tornou!

7 - Obrigada pela paciência e, pra encerrar, gostaria que você deixasse uma mensagem pra quem passar neste mês de aniversário do Literatura de Mulherzinha 💙
Obrigado mais uma vez pelo convite! Sou muito grato por toda a amizade que temos construído nesse tempo!
E em tempos tão difíceis, leiam mais, se informe mais, e cuidem uns dos outros!

Arrivederci!!!

Beta

Reações:

0 comentários :

Postar um comentário