sábado, julho 27, 2019

Ciao!




Muitas vezes precisamos de um livro onde as personagens enfrentam coisas pelas quais nós, em alguma medida, podemos enfrentar. Por meio delas, a gente se questiona o que faria e isso nos ajuda a pensar.
É minha segunda experiência com lançamentos do projeto “Romances de Hoje” da Arqueiro. Gostei.

A casa dos novos começos – Lucy Diamond – Editora Arqueiro
(The house of the new beginnings - 2017)
Personagens: Georgie, Charlotte, Jo, Bea, Rosa, Margot

Georgie se mudou para Brighton porque o namorado, Simon, arrumou a grande chance da vida profissional. Jo foi parar no hospital e a filha, Bea, ficou aos cuidados provisórios da vizinha Rosa. E Margot sabia o que queria para a própria vida, enquanto tentava mudar a das vizinhas, especialmente Charlotte, que se mudou para a cidade para deixar a dor para trás, mas não seria tão fácil assim.

Comentários:

- O livro acompanha a jornada das moradoras dos cinco apartamentos do edifício SeaView, que ficava nº 11 da Dukes Square. Diferentes jornadas que se encontraram ali. Uma decepção levou Rosa a largar a publicidade e investir na carreira de chef em outra cidade – no entanto, ela trabalhava para outro chef, mal-humorado em um restaurante. E ainda longe de se libertar da culpa pelo próprio coração partido.

- Rosa se vê às voltas com uma adolescente enraivecida, Bea, que estava sozinha desde que a mãe, Jo, passou mal e foi internada com apendicite. Sem ter um bom relacionamento com o pai, Gareth, a garota encontra afeto e boa comida na casa da vizinha. Ao ajudar a família, Rosa passa a ter outras preocupações além do trabalho-coração partido.

- Ainda vivendo um luto doído, Charlotte estava isolada de tudo e de todos, seja das vizinhas e das pessoas com quem trabalhava. Até a empresa iniciar (por total pressão por adesão) um projeto de voluntariado onde os funcionários eram incentivados a visitar e conviver com idosos. Ela não tinha a menor ideia do que faria, até que cruzou o caminho da vizinha do apartamento 5, a elegante Margot Favager, que a incentivou a cumprir várias “tarifas” (como ela chamava “tarefas”) para ajudá-la. E foi assim que Charlotte se viu empurrada a desafiar os sentimentos que a limitavam.

- Georgie se mudou para Brighton e começou a se sentir colocada de lado pelo namorado, Simon. Tudo girava em torno dele, da grande chance no trabalho dele e de como ele não a enxergava. Era como se ela, que tinha largado a vida para acompanhá-lo, não estivesse ali. Então, ela decide arrumar um emprego, numa área diferente do que fazia, se tornou colunista de uma revista local, disposta a compartilhar conselhos para leitores e leitoras em dúvidas. No entanto, ela também enfrentava os dilemas de não ter mais espaço onde era sua casa – Stonefield – e de se sentir uma visita inoportuna no apartamento que dividia com o namorado.

- Como deu para notar, todas elas enfrentam situações que nós podemos passar por elas. A perda de alguém amado, uma relação rompida de forma traumática, a incerteza profissional, relacionamentos complicados com pais e filhos, a falta de sentido na vida, a desesperança. E ao mesmo tempo, destaca o processo que elas passaram para reencontrar o rumo – especialmente, o amor, por si mesmas. A partir do momento que entenderam que a solidão e o isolamento não era solução, que também tinham pontos fortes e se assumiram como pessoas capazes, os novos começos apareceram. O livro é um brinde – e um incentivo – a quem sempre encontra um caminho nos momentos difíceis para seguir em frente.


Arrivederci!!!

Beta

Reações:

0 comentários :

Postar um comentário