quarta-feira, julho 31, 2019

Ciao!

Posso garantir: de perto, a capa é linda!!!


Sabe quando você lê e já imagina o filme/seriado/novela? Foi o caso aqui. A trama me lembrou o estilo do filme “Simplesmente Amor” que eu amo: vários personagens, tramas que se cruzam. Trilha sonora que não sai da nossa mente... (sim, tem citação de música no texto).
Resultado, amei, claro!

Desencontros à beira-mar – Jill Mansell – Editora Arqueiro
(Meet me at Beachcomber Bay - 2017)
Personagens: os moradores da cidade litorânea St. Carys

Clemency conheceu Sam em uma viagem de avião particularmente desastrada. No entanto ele era casado. A vida seguiu e eles se reencontraram em St. Carys, só que agora ele é namorado da irmã postiça, Belle... que sempre teve uma quedinha por Ronan, que trabalha com Clem. E por sua vez, Ronan pensava em Kate que não queria nada com ele. E ainda tem a Marina que, após um divórcio traumático, se mudou para trabalhar como artista na praia, onde Verity se exercita e a Josephine, a mãe de Ronan, que faz comidas maravilhosas. Sem contar as garotas da farmácia que não perdem uma novidade que ocorra na cidade. E olha que não falta assunto!

Comentários:

* Per ogni cosa c'è una legge naturale
Trova un riparo quando arriva il temporale
Cerco una scusa per nascondere I miei sbagli
O solamente un po' d'amore che mi salvi
E ti aspetto anche quando non mi credi
Ti sto vicino anche quando non mi vedi
Spengo la luce per accendere I tuoi sogni
Perchè nel buio noi *
:
- O livro é leve e ligeiro. A autora encadeou as tramas de uma forma que não tem “barriga”/”enrolação” porque sempre algo está acontecendo com alguém. Então ela simplesmente troca o foco de um personagem para outro. Em alguns casos, você parece ter sensação de “poxa, por que parou?” para perceber que não parou nada, porque as tramas se cruzam, se embolam, se afastam.

- Ela mistura presente, vai no passado de cada um e encadeia para a gente entender quem eram estas pessoas, por que agiam daquela forma e o que poderia causar de reação nas outras. Funciona. Não fica chato. E a gente gosta. Eu li o livro em uma tarde – atualmente, não é mais meu padrão, infelizmente. Então quando isso ocorre é porque o trem funcionou comigo. Não conseguia parar porque queria saber o que ia acontecer em seguida.

* Non siamo soli mai
E anche tu non sarai sola mai
Perchè lasciarsi andare è solo un'opinione
Ci sarà sempre un po' di te in questo cuore*

- Clemency e Belle são “irmãs postiças” desde a adolescência quando a mãe de Clem se casou com o pai de Belle. E são completamente diferentes – obviamente competitivas. Isso rendeu desconfianças que demoraram para serem colocadas de forma explícita à mesa, causando pré-julgamentos que baseavam as decisões que uma tomava sobre a outra. Chance de dar certo?


* Certe cose poi succedono non le puoi cancellare
Non ho mai cercato amore prima di incontrare te
E non ti sei accorta
Che c'è la danza che ci porta via
Sfideremo il destino
Che ci allontana ma per me
Ovunque sei è vicinissimo *

- Sam não estava no melhor momento pessoal quando flertou com Clem no avião. Mas nunca poderia imaginar que a reencontraria quando estivesse tentando recomeçar a vida... E por ser a irmã da atual namorada dele, era inacessível. Só que todas as faíscas que não sentiam com Belle estavam ali com Clem.

- Ronan era lindo, maravilhoso, educado, gentil e trabalhava na mesma imobiliária que Clem. A mãe adotiva dele, Josephine, cobrava que o filho único se casasse e desse netos a ela logo. No entanto, embora tivesse relacionamentos, nada dava a ele a sensação do felizes para sempre. 

- Kate poderia ter sido a pessoa que poderia ter feito ele chegar perto desta sensação... mas não quer vê-lo de jeito nenhum após um desfecho desastroso de algo que não devia ter acontecido. E agora Ronan se viu convidado a fingir que era namorado de Clem só para ela não se sentir inferior à Belle. Viu que toda a cidade comemorou o casal perfeito... que não tinha química nenhuma.

* Hai pensato mai a quanto sia speciale
La paura poco prima di saltare
E quelle piccole emozioni che non vedi
Però nel buio noi
Non siamo soli mai
E anche tu non sarai sola mai *

- Marina tinha saído de um divórcio em um período onde estava muito fragilizada. Ela e reconstruiu a vida, mesmo com medo de não estar totalmente recuperada e se vê às voltas com o passado, enquanto se esforça para ser uma boa vizinha e permitir, com seu talento, que os turistas levem boas lembranças de St. Carys. A mesma praia onde Verity se exercita todo dia. Uma vida saudável e “de boas” consigo mesma.


- Todos estes personagens vão conviver e ter que confrontar os seus maiores medos. Como eles se relacionam, muitas histórias vão se cruzar, se complicar, se descomplicar. Será o momento para reconhecer quem são de verdade depois de tudo que viveram, sofreram e aprenderam. 

* E anche se a volte questa vita sfugge dalle mani
Anche se ci confonde e ci tiene lontani
Io sono con te ovunque sei
Perché ovunque sei
Perché ovunque sei
Ovunque sei è vicinissimo
Ovunque sei è vicinissimo*

- E não temam, a autora trata temas sérios – divórcio, abandono, traição, dúvidas, insegurança, doenças, morte – de forma responsável, mas leve. A gente se identifica porque sabe que isso faz parte da vida. Há momentos em que a gente ri com as trapalhadas dos personagens. Outros a gente fica com cara de “hum... aí tem!” (e tinha mesmo, acertei) e haverá realmente um momento “o quê?!” - esse realmente eu não esperava. No fim das contas, uma delícia de leitura que, como disse, flui e você nem vê passar.


Bacci!!!

Beta

ps.: Os versos em Italiano são a música Viciníssimo, do Il Volo - se o livro fosse um filme, sugeriria ela para tema principal. Abaixo quem quiser ouvir Gianluca, Ignazio e Piero cantando (não tem videoclip ainda). 

Reações:

0 comentários :

Postar um comentário