sábado, agosto 31, 2019

Ciao!

“A cabeça, eu vou te falar, é uma parada muito sinistra e louca. Muito louca”

Abençoada seja a Thalita Rebouças por dar voz a muitas pessoas que enfrentam todo dia uma luta interna.
É um livro que merece ser indicado e lido, independente de faixa etária.

Confissões de uma garota linda, popular e (secretamente) infeliz – Thalita Rebouças – Arqueiro
(2019)
Personagens: Valentina

Valentina tinha tudo: era rica, bonita, a mais popular do colégio, mas ninguém sabia que ela estava longe de se sentir como as pessoas a viam. Ela se achava totalmente errada, inadequada, e não conseguia encontrar sentido na própria vida. O ano vai revelar que nem tudo é o que parece, que ela precisava de ajuda e que tudo, mas tudo mesmo, passa.

Comentários:

“[...] mas por dentro... eu me odiava! Ódio é uma palavra fortíssima, eu sei, mas estou usando com propriedade. Eu me odiava real, tipo querer fugir de mim, existir em outro corpo, sabe? Tomara que não saiba! Porque é uma agonia que não desejo nem para o meu pior inimigo. É assustador você se olhar no espelho e se ver completamente fora do padrão. Eu, que para todo mundo era perfeita, me via como o retrato da imperfeição, disforme, feia, com cara de cavalo. Cara de cavalo num corpo desproporcional”

- Promessa é dívida: Thalita disse que a história de Valentina seria o terceiro livro da série “Confissões” e finalmente chegou a hora de acompanhar o ponto de vista dela. E de cara, já sabemos que como antecipa o título, dinheiro e beleza não compram felicidade. Ela tinha problemas como qualquer outra pessoa. Com um agravante: desde os 10 anos, tinha problemas sérios de autoaceitação e de imagem, que poderiam se tornar coisas mais graves.

- Thalita sabe muito bem para quem escreve. Sabe que muitas garotas e muitos garotos enfrentam este problema ou situações semelhantes e se sentem sufocados, sem quem os entenda e isolados do mundo. Ao mostrar a vida de Valentina longe da perfeição que as pessoas pensavam que era, faz com que a gente a entenda, perceba o quanto ela mudou e ainda sofre pelas atitudes narradas no livro da Tetê.

- A família também é um agravante. Ela sofre com as brigas constantes da avó e da mãe – e com ambas a transformando em alvo constante de críticas – e ainda com a distância do pai que viajava muito a trabalho. Não é o ambiente onde Valentina se sente encorajada a buscar ajuda para lidar com os próprios sentimentos e ver de forma saudável que ser imperfeito é normal.

- Ela encontra paz fazendo cursos, especialmente sobre moda (palmas por explicar quem são as pessoas que ela cita como referência – como fã da Audrey Hepburn, considero importante que os mais novos descubram quem ela foi e pesquisem mais sobre a vida dela. Vão se surpreender). No entanto, em ano de vestibular, ainda não sabe direito como seguir a carreira dos sonhos.

- Enfim, não precisa ser gênio para saber que, depois de ANOS varrendo problemas para baixo de qualquer lugar, eles iriam explodir, né? E aí como Valentina mesmo define, vem em forma de “avalanche” ressaltando as consequências do que ela fazia de forma (in)consciente (ou não).

- Através da jornada de Valentina, Thalita mostra que sempre há a chance de conseguir a ajuda necessária, seja a psicológica, a médica e a das pessoas que amam e se preocupam. E olha que a gente se surpreende ao receber amor de onde nem imagina que ele exista.

- Thalita, te amo. Volte logo à JF, por favor! E agora que venha – como vier – a história do Zeca!

Série “Confissões”
Confissões de uma garota linda, popular e (secretamente) infeliz – Valentina
  

Arrivederci!!!

Beta
Reações:

0 comentários :

Postar um comentário