domingo, fevereiro 16, 2020

Ciao!

Compre na Amazon 

“Então veja só: tudo está em um equilíbrio delicado. E o bater das asas de uma borboleta pode fazer toda a diferença no mundo” 
Hoje tem festa na casa da Lucinda Riley! E pra comemorar o aniversário da autora, nada melhor que o mais recente livro dela lançado no Brasil.

A sala das borboletas – Lucinda Riley – Editora Arqueiro
(The Butterfly Room - 2019)
Personagem: Posy Montague

A Admiral House é a base de muitas lembranças de Posy Montague; morou lá até a morte do pai. Depois viveu com a avó, no colégio interno, em Londres, em lugares diferentes do mundo até voltar. E esta volta, tantos anos depois, será em um momento de virada na vida dela e dos filhos e de amigos. Muitas coisas que estavam escondidas virão às claras e as próprias prioridades serão colocadas em xeque.

Comentários:  
“- Lembre-se de que você é só uma entre bilhões de formigas andando pela face da Terra, tentando sobreviver – disse para o ar”. 
- O que eu mais gosto nas histórias da Lucinda é que elas são tão possíveis de ocorrer com a gente ou com quem conhecemos. Afinal de contas, que família não tem segredos? Ou quem conhece totalmente a própria história? Exato. Aqui a gente acompanha uma história de como estas lacunas influenciaram direta e indiretamente a vida de Adriana Rose “Posy” Montague.

- A menina que cresceu sendo incentivada pelo pai a ficar atenta à natureza, compartilhando com ele o amor pelas borboletas que ajudava a capturar. No entanto, a 2ª Guerra o levou para longe. E ele nunca mais voltou. A mãe optou por voltar para a França e deixá-la com a avó.

- Entre dificuldades, conquistas – como estar entre as primeiras turmas de mulheres em Cambridge -, decepções e escolhas, Posy encontrou e perdeu o amor, construiu a própria história. E depois, foi obrigada a reconstruí-la, desta vez, com duas crianças para cuidar e criar. 
“- Talvez a principal tenha sido que eu percebi que dá para fugir para bem longe, mas não dá para escapar de si mesmo” 
- Como sempre, a autora conta diferentes narrativas temporais. Temos as lembranças de Posy criança e jovem, entremeando com Posy meses antes de completar 70 anos. Na época atual, ainda acompanhamos as trajetórias dos filhos dela, Sam e Nick.

- Sam está às voltas com mais um projeto para enriquecer e se provar como uma pessoa bem sucedida. Enquanto isso, a esposa, Amy, se desdobra para tentar manter o otimismo, com as contas atrasadas, cuidando dos filhos em uma casa imprópria para alguém morar com saúde e se desgastando ao fazer controle dos danos antes que o marido explodisse. E ainda aturando mal humor de hóspede no hotel onde trabalhava como recepcionista. Tudo bem que o famoso escritor Sebastian Girault se arrependeu, pediu desculpas... e se tornou uma presença constante em Southwold.

- Nick estava de volta à Inglaterra depois de muitos anos trabalhando com antiguidades em Perth, na Austrália. Enfrentava os desafios de se restabelecer em seu país de origem e construir um futuro. A primeira surpresa foi que não esperava ser surpreendido pelos sentimentos despertados por Tammy. A segunda era ver que o irmão não havia mudado e poderia colocar muito mais que ele mesmo em risco. A terceira era reencontrar a mulher que o fizera deixar tudo que era familiar e ir embora. E descobrir que tinha muito a acertar, viver e descobrir antes que fosse tarde demais. 
“- Prometa que, quando encontrar o amor, você vai se agarrar a ele e não vai soltar nunca mais”. 
- Por amor, as pessoas justificam as mais variadas atitudes. As boas e as más. Em alguns casos, como forma de amenizar o impacto das consequências. No entanto, às vezes, a proteção, a lealdade, a loucura “por amor” podem causar sofrimento. Às vezes, o “por amor” é uma ilusão proposital sobre o que não foi e nunca será este sentimento.

- Mas, nem tudo está perdido: há as vezes em que vale a pena celebrar o (re) encontro com o amor – as avaliações que ele nos inspira e a força que nos impulsiona a tomar decisões e superar certos problemas.

-  Bem, agora vocês entenderam por que eu gosto tanto os livros da Lucinda Riley.


Bacci!!!

Beta

Reações:

0 comentários :

Postar um comentário