quinta-feira, abril 30, 2020

Ciao!




Todo Abril Imperdível tem seu fim!

E deixei para a saideira mais uma listinha difícil de ser feita - a de 15 autoras e autores que fazem parte da história do Literatura de Mulherzinha.

Para o  #TBT de despedida do mês de aniversário, eis a lista feita seguindo o critério de: "fecha os olhos e pensa. Em seguida, anota os nomes".

Afinal de contas, quem está aqui representa todos os outros que participaram da jornada. Uma história dessa não poderia ser construída sozinha!

*** 15 autores ou autoras que fazem parte da história do Literatura de Mulherzinha ***

* Lori Foster

Em um dia muito triste, eu estava com um livro da autora me fazendo companhia. Gosto das heroínas e dos homens que ela escreve. As histórias são engraçadas, sexies, intensas. Li todos que pude e espero ter chance de ler ainda mais.


* A. C. Meyer

Foi #MadreHooligan quem achou e cismou com os livros da A.C. Meyer. O resultado: todos vieram parar aqui em casa. Gosto do romance, da leveza, de me transportar para eles e gostar de ficar lá.


* Natalie Anderson

Os personagens da Natalie são próximos às nossas vivências, mesmo estando em outros países. Ela escreve tanto tramas com mais drama quanto com muita comédia e sensualidade. Eu me mudaria para um lugar onde morassem os homens dos livros dela.


* Marina Carvalho

A Marina também foi encontrada por #MadreHooligan na livraria - porque ela ama história de princesas e quis ler Simplesmente Ana. E eu adoro os livros dela, com sotaque, capricho e o desvelo dos melhores artistas e escritoras/escritores de Minas. Ah, Literalmente Amigas não está na foto porque foi confiscado adivinhem por quem???


* Diana Palmer

Sim, eu adoro me irritar com os livros dela, as mocinhas tapadas, os ogros idiotas que ela chama de herói e o fato de que todo personagem legal é possuído pela ragatanga do poço quando vira protagonista. O resultado aparece no LdM como um texto bem malcriado... E tem gente que gosta!


* Vinícius Grossos

Amor despertado pela contracapa. Consolidado por muitos abraços e pela admiração por David Levithan. Ah, também aprovado por #MadreHooligan - ele conseguiu a proeza de fazê-la tirar uma foto. E só falta um pra ler, que fico vigiando aguardando o dia em que estará novamente disponível.


* Deborah Simmons

Queria muito que outras editoras publicassem os livros da Deborah Simmons. Queria que mais pessoas conhecessem e se encantassem pelos personagens dela, seja os irmãos, os amigos, os aventureiros, os líderes, os tímidos, os inteligentes...


* Carina Rissi

Admito que estou atrasada e ainda tenho que ler alguns que estão nesta foto. Histórias nacionais, empolgantes, divertidas, bem escritas, românticas e um tanto malucas. Até suspeitei que #MadreHooligan falou com Carina sobre jornalistas desastradas... Enfim, como não gostar?


* Hannah Howell

Amor e frustração são os meus sentimentos em relação à Hannah Howell. Afinal de contas, a antiga editora publicou a série fora de ordem e esqueceu o Liam Cameron no churrasco medieval. E eu espero por ele até hoje para poder ler os outros livros...


* David Levithan

Eu amo a forma como David Levithan transforma sentimentos em palavras que despertam novos sentimentos em quem o lê. Por isso sempre encontro um espacinho para mim nos livros dele.


* Alexandra Sellers

A saga dos sheiks que a Alexandra Sellers criou é tão intrincada e detalhada que merecia ser conhecida por muitos mais leitores e leitoras - a maioria está na foto abaixo. Eu tive sorte de encontrar os que foram publicados no Brasil e ler - mesmo fora de ordem. E recomendo!


* Jane Austen

Comecei a ler Jane Austen por meio de quem a amava: afinal de contas, era a mais citada entre as autoras de chicklit. Até eu conseguir ler e me apaixonar por conta própria: nunca vou esquecer o impacto dos capítulos 33 e 34 de Orgulho e Preconceito. Sei que preciso ler mais dela - e farei isso!


* Ruth Langan

Foi uma das primeiras autoras que li na fase de romances de banca. E adorava as mulheres corajosas, os homens destemidos, os vilões inescrupulosos. E principalmente ver a justiça sendo feita. Pena que várias séries também ficaram incompletas no Brasil...


* Lynne Graham

Foi a primeira autora sobre quem escrevi no Literatura de Mulherzinha. Mesmo me irritando com as heroínas abnegadas e indefesas e os "heróis" que se baseiam em investigações mal feitas e em convicções, não em fatos. Mas quando ela acerta... Então, leiam e tirem suas conclusões!


* Nora Roberts

Não tem como deixar Nora de fora da lista. Porque ela é a rainha de todo mundo. A gente se rende a ela nas histórias de banca e de livraria, nos volumes únicos ou nas séries. Nos romances, nos suspenses e no sobrenatural.


Com este #TBT, agradeço a companhia de todo mundo ao longo deste #AbrilImperdível. Agradeço a chance de poder celebrá-lo em meio a um período tão instável e estranho. E de seguir compartilhando sobre o amor pelos livros para nos trazer um pouco de paz e leveza.

Por favor, cuide-se, cuide de quem você ama e, se possível...


Bacci!!!

Beta
Reações:

0 comentários :

Postar um comentário