quarta-feira, abril 08, 2020

Ciao!





Chegou a hora de saber o que aconteceu com Wes Ryan e James Canning após assumirem que sempre amaram um ao outro. Demorou um pouco mais que eu esperava, mas a sequência de Ele: quando Ryan conheceu James chegou finalmente no Literatura de Mulherzinha.

*** Texto originalmente escrito para uma resenha conjunta o Histórias Sem Fimque a Ana Carla gentilmente permitiu que fosse publicado também no Literatura de Mulherzinha! Obrigada, Ká! ***

Nós: o felizes para sempre de Ryan e James – Elle Kennedy e Sarina Bowen – Paralela
(Us - 2016)
Personagens: Ryan Wesley e James Canning

Ryan e James se mudaram para Toronto. Enquanto Ryan é o novato sensação da equipe da cidade na disputa da NHL. James é um dos técnicos de goleiros de um time de adolescentes local. Para evitar problemas na carreira de Ryan, eles mantiveram o relacionamento em segredo, mas com a expectativa de ele poder anunciar no fim da temporada sem prejudicar a carreira. No entanto, ambos precisam passar por muitas adaptações na vida de “namoridos”, às dificuldades em suas carreiras e como isso afeta a relação.

Comentários:

- É um livro de leitura rápida, com um casal carismático – por mais que a gente se estresse com algumas atitudes dos protagonistas diante dos problemas que surgem – que enfrenta um desafio bem real: o direito de assumir que se amam. Em pleno 2019/2020, a liberdade de amar quem quiser ainda é considerado um problema para outras pessoas que se julgam no direito de condenar o casal e questionar o direito de eles existirem. O que houve na Bienal do Rio não foi caso de ficção – apenas uma atitude vista mundo afora com “naturalidade”: a ideia de um padrão de “ser homem” que não pode ser alterado.

- Agora pega esses questionamentos e coloca no meio esportivo. Pensa quantas vezes você já ouviu alguém usar algo usado à sexualidade como um xingamento, algo para depreciar o adversário? Ou mesmo tabloides e jornais expondo detalhes “suspeitos” sobre determinado atleta. E muitos passaram a vida forçados a não serem completamente quem são por medo de perder patrocínio, do julgamento da opinião pública sobre o desempenho deles como atletas a partir de uma escolha de vida privada.

- Então o livro é uma ficção com estes pés atolados na realidade. Os comentários homofóbicos que James escuta no trabalho como forma de xingamento, depreciação, “incentivo” e “apenas uma brincadeira”. O peso de ter que esconder que ele e Ryan são mais que amigos que dividem um apartamento.

- A sensação de isolamento porque ambos estão longe de casa – e embora Ryan não tivesse o melhor relacionamento com os pais, James era extremamente ligado aos familiares. E, por melhor que fosse, Toronto não era a California, nem o acampamento de hóquei onde eles se conheceram e se reencontraram.

- E pausa para destacar que Blake Riley, companheiro de time de Ryan, será o protagonista do terceiro livro da “série” – nem sei como qualificar, talvez “spin off”. Vi essa informação no Goodreads. Para descobrir o motivo, o que posso dizer é que você precisa ler este livro.

- Tanto James quando Ryan vão errar no relacionamento. Algumas consequências serão difíceis e doloridas de se lidar, seja dentro ou fora da casa que compartilham. E se os dois não encontrarem a si mesmos, será difícil um “nós” sobreviver, por mais amor que exista. Eles vão aprender – em alguns casos, da forma mais complicada – que a gente não precisa piorar as situações nem arrumar ainda mais problemas. Porque muitas vezes, a insegurança e o medo que moram dentro de nós são péssimos conselheiros para enxergar a vida.

Dueto (até agora);
Us – Nós: o felizes para sempre de Ryan e James 

- Links: Goodreads livrosérie e Elle Kennedy e Sarina Bowen; sites da Elle Kennedysite da editoraSkoob; Amazon; mais sobre a Elle Kennedy e a Sarina Bowen no Literatura de Mulherzinha.

Arrivederci!!!

Beta
Reações:

0 comentários :

Postar um comentário