segunda-feira, abril 27, 2020

Ciao!


  
Vi nas redes sociais o aviso de uma série, oferecida pela Storytel Originals. São pequenas histórias publicadas em áudio, no projeto “Vai ficar tudo bem! Histórias da quarentena”.

Reconheci entre os autores e as autoras participantes o nome do Vinícius Grossos.

E não é que tive uma experiência nova, graças ao aniversariante do dia?
  
O menino do outro lado da porta – Vinícius Grossos – Storytel
(2020)

Antes da quarentena, Artur fazia as compras para ele e para a vizinha, Ruth. Agora então, o gesto era ainda mais necessário, porque ela era grupo de risco. E esse gesto de solidariedade e de carinho tem um desfecho inesperado para o protagonista.

Comentários:

- Artur narra um dia comum na vida dele durante a quarentena. Ir ao mercado fazer compras e aproveitar para levar o cachorro, Drake, pra dar uma volta, era o máximo de liberdade permitida.

- Na caminhada, reflete sobre as coisas estranhas deste período de quarentena, primeiro com a histeria e o susto, depois o pânico e a sensação de que a vida está em um hiato. Não gostar de saber o que irá acontecer e ansiar pelas coisas simples da rotina.

- Isso fez com que se lembrasse de Rômulo, filho de Ruth, o primeiro amor de Artur. Foram anos com todas as descobertas que fazem parte de um relacionamento, até que Rômulo decidiu fazer um curso no exterior e partiu. A vida seguiu, outros relacionamentos vieram, mas nenhum era aquele primeiro amor. 
“Meu lençol deve lembrar mais os nomes deles do que eu”. 
- E ao seguir os itens da lista de compras, Artur tem uma percepção totalmente inesperada – e, de repente, o mundo pareceu primeiro ficar ainda mais fora de lugar, para depois, tudo se encaixar.

- Bem, depois de ler quase tudo do Vinícius (só falta o Sereia Negra), ele me impulsionou a fazer a estreia nas histórias em áudio. Geralmente, as vozes que me acompanham estão na minha cabeça, enquanto eu viro as páginas. Então ter outra voz narrando foi uma experiência diferente. Desta vez, eu não tinha páginas para virar e segui no embalo da narração de Pedro Milmann que, a propósito, foi incrível.

- A história é curta, menos de 9 minutos, mas completinha. Aqui em casa, eu sou a encarregada de ir aos supermercados desde que o distanciamento social começou - portanto era fácil me imaginar no lugar do narrador-personagem. 

- Gostei da cena-chave – engraçado que eu a imaginei como um desenho animado. E a última frase, uau que linda! Pena que não posso contar aqui, mas não poderia haver um encerramento mais perfeito.

- Às sextas-feiras, a lista ganha novas histórias. Quem quiser conferir, está no Spotify.


Arrivederci!!!

Beta
Reações:

0 comentários :

Postar um comentário