quarta-feira, junho 24, 2020

Ciao!
Disponível na Amazon


 


Eu não fazia ideia de há quantos anos este livro está aqui em casa. Fui pesquisar e achei: comprei os dois primeiros livros na Bienal do Rio de 2013

#MadreHooligan encontrou os livros – a essa altura, o terceiro já estava aqui em casa -, leu toda a série e se apaixonou.
 

Depois de tanto tempo, eu me vi na obrigação de finalmente ler antes de assistir à primeira parte da minissérie da Passionflix inspirada no livro com #MadreHooligan. Tentarei fazer um texto sem dar spoilers. 

Já que hoje é dia de São João Batista, que é padroeiro de Florença, considerei que seria uma excelente escolha de resenha. Afinal de contas, a cidade é também uma personagem da história de Julia e Gabriel. 

O inferno de Gabriel – Sylvain Reynard – Arqueiro (O inferno de Gabriel 1/3) 
(Gabriel’s Inferno - 2013) 
Personagens: Julianne H. Mitchell e Gabriel O. Emerson 

Julia se mudou para fazer o mestrado no Departamento de Estudos Italianos do Centro de Estudos Medievais da Universidade de Toronto. Só não esperava começar da pior forma possível com o temido professor Gabriel Emerson. Era o titular da disciplina sobre Dante, fundamental para ela seguir em frente nos planos de pós-graduação. Foi o ponto de recomeço de uma história marcada por muitos espinhos e traumas no caminho da redenção.
 

Comentários:
 
Apparuit iam beatitudo vestra. 
- Confesso que o Giulio Berruti (que interpreta o Gabriel na minissérie) foi o empurrão que faltava para finalmente eu começar a ler a trilogia. Ele se uniu ao fato de Florença ser importante na história, à tietagem explícita de #MadreHooligan e ainda ao conhecimento que já tenho da escrita de Sylvain Reynard. 


- Afinal de contas, como boa pessoa do contra, comecei pela série Noites em Florença, onde gostei muito do William York, príncipe de Florença, e gastei minha garganta gritando com a Raven. De Gabriel e Julia, conhecia o que vi nesta série e o que #MadreHooligan me contou (sim, ela não resistiu em dar spoilers, como por exemplo ler a famosa cena do seminário). 

- A trama começa com as dificuldades que Julia está enfrentando no Mestrado na Universidade de Toronto, especialmente com o professor doutor Gabriel Emerson. Ela se atrapalha toda perto dele e, por falta de sorte, tanto a excessiva timidez quanto a compaixão naturais dela só ajudam a complicar a situação. 

- O fato é que a convivência obrigatória entre Julia e Gabriel ganha contornos inapropriados para a relação professor – aluna. Além dos confrontos, surge uma inegável atração. Gabriel não quer atrair Julia para a tormenta que ele é, no entanto, cada vez mais não consegue ser vê longe da aluna. Julia percebe a atração que sente pelo professor de temperamento difícil e lamenta várias impossibilidades, além das óbvias, que existem entre eles. 

- É a trama aborda a área intermediária entre a fantasia de pontos extremos pressupostos à medida que os personagens interagem e se apresentam para quem lê. Julia personifica tudo de bom. Gabriel está, como diz o título, condenado em vida à “danação eterna”. 

- O ponto alto é que a gente acompanha a revelação do que há neles por trás da fantasia e projeção um sobre o outro, acrescido pelo conhecimento dos dois a respeito de Dante Alighieri e Beatrice Portinari. A vida do maior poeta italiano é o filtro principal de Gabriel e de Julia para explicar o mundo. E portanto temos várias referências à Divina Comédia (que quero ler desde Inferno, do Dan Brown e ainda não consegui). 

- Gabriel não está além de qualquer capacidade de redenção nem Julia está imune à maldade do mundo. Ele é imperfeito. Ela é imperfeita. Os dois tiram a gente do sério (aí fica a seu critério definir com quem você grita mais). Ambos foram influenciados por uma série de coisas que viveram e das quais ainda não se recuperaram.  

- Sylvain Reynard explora bem este aspecto interno dos protagonistas. É um livro bem descritivo – e olha que eu, fã absoluta de diálogos, não tive problemas. Há muito que não é dito entre Julia e Gabriel. Portanto, eles se tornam um quebra-cabeça não só para o outro, mas também para quem está lendo. 

- Temos tensão, atração, confrontos, impasses, idas e vindas, medo, descobertas, redescobertas, encontros e reencontros, perdas, dor, escuridão e alegria. Em suas confusões, certezas, vulnerabilidades, angústias, um é tão fascinante ao outro: a dor os une e a esperança de alcançar paz e superar as tormentas deixa de ser algo inatingível, mas talvez possível.

- O livro mostra uma parte da jornada de Julia, de Gabriel e de Julia e Gabriel. Eles não são os mesmos que iniciaram a trama quando nos despedimos, com um até logo, até começar a próxima das outras duas tramas, com mais desafios a serem enfrentados pelo casal - com a gente a bordo. 

Trilogia O inferno de Gabriel
O inferno de Gabriel
O julgamento de Gabriel 
A redenção de Gabriel

Arrivederci!!!

Beta
Reações:

0 comentários :

Postar um comentário