sábado, agosto 15, 2020

Ciao!

Disponível na Amazon  

Eu e este livro estamos indo e vindo desde maio e só agora consegui concluir. É até complicado falar sobre a história porque evitarei spoilers. E o melhor que é você leia e tire suas conclusões. 

As luzes mais brilhantes – Augusto Alvarenga – Astral Cultural 
(2017) 
Personagens: Bruna Morais e Julién Leal 

Um atropelamento na Avenida Paulista colocou Bruna e Julién no caminho um do outro. Com experiências e vivências bem distintas, eles se aproximam e, aos poucos, percebem que podem ser mais que amigos. No entanto, por algumas razões muito complicadas e complexas, isso está longe de ser um conto de fadas. 

Comentários:

- Julién atropelou Bruna quando saiu de bicicleta de uma sessão de tatuagem. O resultado foi uma roda da bike empenada, uma tatoo borrada, alguns arranhões e um café para pedir desculpas. Uma vontade incrível de se reencontrar, em condições mais normais. Uma amizade que começa de forma inesperada e entre duas pessoas bem diferentes. 

- Julién tinha muitos sentimentos confusos e intensos dentro dele. Um dia de cada vez. Não conseguia deixar o passado para trás, porque ainda doía muito. E, por isso, tinha motivos de sobra para não se animar com o futuro. 

- Bruna é solar, confiante e bonita – aquelas pessoas naturalmente lindas, sem artifícios. Ela leva a luz para a vida de Julién. E se encanta com os conhecimentos de filmes e música que ele tem. Além de desfrutar a companhia e aprender a ver São Paulo pelos olhos um do outro. 

- No entanto, a base da história é a jornada de Julién na busca para entender e achar um caminho em meio ao caos que sente. Uma forma ou um motivo para suprir o vazio que ele sente e se conseguir olhar para o futuro sem asteriscos. Ele precisa parar de se deixar conformar pela dor, pelo trauma e pelo medo. Não é fácil, porque é muita coisa que ele não consegue por pra fora. 

Acho que todo mundo tem um momento bom na vida. Talvez eles venham do céu como uma forma de consolo por tudo de ruim. É que nós, seres humanos, temos a incrível capacidade de nos apegarmos a um pequeno momento bom, e viver todos os momentos ruins tentando alcançar um que seja bom, de novo. 

- Não tem solução milagrosa, é se encarar, se aceitar e se tratar. Às vezes, a pessoa vai por bem. Em outras, vai após não ter alternativa. O fato é que cada um tem que aprender a brilhar sozinho, mesmo em meio ao nevoeiro ou nos momentos de escuridão. Não é fácil. Fica menos pesado quando temos apoio, mas ninguém pode lutar por nós. 

- Links: Goodreads livro e autor; Skoob; mais dele no Literatura de Mulherzinha. 

Arrivederci!!! 

Beta

Reações:

0 comentários :

Postar um comentário