sábado, outubro 03, 2020

  Ciao!



Faro Editorial traz com opções irresistíveis em outubro. Confiram!


O Pequeno Príncipe é uma das obras literárias mais lidas no mundo e isto se deve à sua capacidade de revelar, a cada pessoa, significados diferentes, profundos, diante de uma história aparentemente simples.

Nesta edição da Faro Editorial, você terá a chance de revisitar asteroides, planetas e baobás, encontrar uma certa raposa e admirar uma rosa muito especial. Escrito há mais de 70 anos, este livro é um dos favoritos de todos os apaixonados por literatura. E, até quem não tem o hábito de leitura, se encanta pela doçura do pequeno príncipe.

Ilustrado com as aquarelas do autor, a obra narra a amizade entre um piloto perdido no deserto e seu amigo inesperado, o pequeno príncipe. Seja esta a sua primeira leitura ou se já perdeu as contas de quantas vezes leu a história: prepare-se para se emocionar.


Era só mais uma lenda urbana, uma espécie de rito de passagem para os alunos do segundo ano da Escola Preparatória Westmontt. Tudo o que você deveria fazer era seguir as coordenadas, manter sua vela acesa e torcer para não se deparar com o Homem do Espelho. Até que no verão de 2019 algo deu errado. Sete alunos estavam na floresta, mas somente cinco sobreviveram àquela noite. E agora, apenas dois estão vivos e sabem o que realmente aconteceu...

A Faro Editorial lança este mês “Nunca Saia Sozinho”, quinto livro do autor best-seller Charlie Donlea. Ele está de volta neste thriller assustador sobre um crime brutal em um colégio interno, que trará uma das personagens mais queridas do leitor de volta, a investigadora forense Rory Moore.

Tudo parecia solucionado para a polícia e a direção do colégio. Dois jovens foram brutalmente assassinados numa espécie de iniciação entre estudantes do segundo ano, e ao que tudo indicava, o culpado era um dos professores do colégio, que tentou suicídio e agora jazia vegetando num hospital psiquiátrico.

Mas para a jornalista investigativa Ryder Hillier alguma peça estava faltando e ela queria descobrir, além do desejo de esfregar na cara de Mack Carter, um  jornalista engomadinho que roubou a história dela e agora tinha toda a atenção da mídia com seu podcast. Até que um fato os coloca juntos na trilha de um dos sobreviventes daquela fatídica noite: Ryder e Mack encontram o garoto morto, próximo ao lugar da tragédia. Afinal por que esses adolescentes estão voltando ao local onde tudo aconteceu e tirando suas vidas?

É essa dúvida que vai levar até a pequena cidade Rory Moore, acompanhada de seu parceiro Lane Philips, vão buscar as peças que faltam nesse quebra-cabeças, e se envolvem numa história sombria, cheia de segredos, mortes e suspeitos. E, da pior maneira, vão descobrir que não podem ficar sozinhos, nem um minuto sequer!


Uma das maiores escritoras negras do Brasil, a primeira e ter reconhecimento nacional ainda em vida; cronista, jornalista, romancista, contista e tradutora Ruth Guimarães será publicada pela Faro Editorial a partir deste mês: “Contos negros” e “Contos índios”.

Os contos presentes nestes livros foram extraídos unicamente da tradição oral dos povos do Vale do Paraíba, no encontro entre três estados, Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais. A autora seguiu, na produção desses textos, técnicas de coleta folclórica que aprendeu com o professor, Mário de Andrade, entre os anos de 1942 e 1944.

Formada em Letras Clássica pela USP, Ruth iniciou sua carreira como jornalista, escrevendo para grandes veículos como a Revista do Globo, O Estado de S. Paulo e Folha de S. Paulo, mas foi na literatura que ela encontrou sua paixão. Autora de mais de 50 publicações entre ensaios folclóricos, romance, contos, traduções, crônicas e reportagens, também atuou como professora que formou várias gerações.

Era membro da Academia Paulista de Letras e cultivou grandes amizades ao longo de sua história, entre eles Érico Veríssimo, um fã declarado de suas crônicas e o primeiro a aclamar a obra “Água Funda”, publicado em 1946. Guimarães Rosa e o escritor e folclorista Luís da Câmara Cascudo também tiveram amizade próxima com a escritora, ao longo de toda a vida.

Ruth Guimarães teve trajetória marcada não só pela literatura, com as 51 obras que publicou, entre ensaios folclóricos, romance, contos, traduções, crônicas e reportagens, mas também como professora que formou gerações. Entre seus alunos se destacam escritores como Severino Antonio e Regis Morais, e médicos como Aurelino Ferreira Júnior.

Uma autora brasileira que merece ser celebrada, e que mantém seu legado vido entre nós. Sua trajetória de pesquisadora da cultura popular e do folclore, associada a uma intensa produção erudita no campo da tradução e da crítica literária, a colocam no cenário dos grandes intelectuais brasileiros.

A coleção ainda conta com dois outros livros que serão lançados no próximo ano: Contos entre o Céu e a Terra e Contos de Encantamento.

E a Faro Editorial chega com uma novidade para o mercado editorial: o lançamento do selo Avis Rara, voltado para os livros de ciências sociais.

E para inaugurar as publicações do novo selo, a editora lança o novo livro do jornalista e escritor Guilherme Fiuza, “Fake Brazil – a epidemia de falsas verdades”.

Simbolizado pela águia bicéfala, ser mitológico que representa inúmeras tradições e significados no decorrer de toda a história, além de ser o animal cujo destaque é o alcance de sua visão.

O novo selo vai concentrar os livros de não-ficção da editora, trazer clássicos do pensamento liberal, economia, apresentar novos autores nacionais e internacionais nas áreas de ciências sociais e comportamento, e incentivar a pluralidade de raciocínio e conhecimento.


O tema do momento e que está intimamente ligado ao debate político e social no Brasil são as Fake News. Descobrir o que é verdadeiro ou falso não é uma ciência exata em meio a esse jogo de interesses, opiniões e achismos. Só nos restam duas opções, mergulhar no mar da incerteza e das frustações, ou usar do bom humor, e rir dessa desgraça, afinal, não existe melhor piada pronta do que a política no Brasil atual.

“Fake Brazil -  A epidemia de falsas verdades” é o novo livro do jornalista e escritor Guilherme Fiuza. Recheado de sarcasmo e críticas políticas e sociais, levanta um debate sobre a nossa realidade e provoca os leitores a pensar sobre as mentiras oficiais e a quem interessam.

Atravessando as atuais decisões do STF, do Senado, da Câmara dos deputados, as decisões em tempos de pandemia, a divisão partidária que tomou conta do país, e claro, as famosas e grandes fake news, o autor traz todos os personagens dessa comédia "brazileira", e apresenta uma visão dos fatos por trás delas, mas que estão marcas em nossa história.

Fake news —é tudo aquilo que os Senhores da Verdade não querem que você fale.

Atravessando essas páginas, você poderá tirar suas conclusões de quem é quem nesse estranho baile de máscaras. E vai descobrir que realmente as palavras de Cazuza traduzem a essência do nosso país, afinal, não nos convidaram pra essa festa armada para nos convencer.


Arrivederci!!!

Beta
Reações:

0 comentários :

Postar um comentário