domingo, janeiro 17, 2021

Ciao!

Disponível na Amazon 

 Todo mundo passa por uma fase chata na vida. Uma daquelas em que a gente está parado – e mesmo que seja em um bom lugar – nada parece ter valor.

Este livro é sobre Alanna, uma personagem numa fase muito chata, e as consequências disso. 

Mascarado pelo desejo – Josy Stoque – Astral Cultural
(2018)
Personagens: Alanna Góes, Miguel Timberg e o Mago
 

Alanna parecia ter tudo: a própria empresa, criatividade, uma base fiel de clientes. Ao mesmo tempo, se viu confrontada pela estagnação amorosa e sexual. Por ser menos liberal, vivia em conflito de pensamentos e atitudes com a avó e a irmã. Até que uma apresentação de um stripper conhecido como Mago acabou com o controle e o equilíbrio dela. E a vida não voltou mais a ser como era. 

Comentários: 

“Era sensual, proibido, hipnotizante demais para parar de olhar, mesmo que eu soubesse que deveria, por decoro. Não sei se queria saber onde aquilo terminaria, porém, minha capacidade de raciocínio foi embora com as roupas do sujeito”. 

- Seria muito simples eu dizer que Alanna é uma personagem chata. No entanto, ela não é chata. Ela se deixou conformar em uma fase chata. Onde ela preza o controle de si mesma e da própria vida. Teve motivo para isso? Provavelmente, no entanto, a autora não se aprofunda nas razões, mas foca em como isso conduziu o comportamento dela e a faz se tornar o oposto das atitudes liberais e livres da irmã, Luanna, que está às vésperas de se casar, e da avó, Úrsula. 

- Foi justamente na festa de aniversário da avó que ela conheceu o Mago, o stripper contratado para animar as convidadas. E todo o clima de sedução que ele gera simplesmente implode o controle dela. 

- Ao mesmo tempo, enquanto trabalha na expansão do atendimento da loja dela, que era designer de joias, viu o anúncio para o serviço de motoboy ser respondido por Miguel Timberg. E se surpreendeu com a reação a ele – algo que não aconteceria antes de certos sentimentos e desejos terem sido “despertados” pelo Mago. 

“O problema estava na minha mente seletiva. Eu me concentrava tanto no pior (para os meus parâmetros) que deixava de enxergar o melhor das pessoas”. 

- A partir daí temos a jornada de autoquestionamento de Alanna, onde será necessário que ela amadureça e perceba que a forma que escolheu para viver pode não ser a perfeita e nem a torna superior aos outros. Só que, por ter convicções arraigadas, ela não consegue flexibilizar seu modo de pensar e agir com facilidade. Há idas e vindas. 

- E no meio tempo, muita confusão pela atração por Miguel (que não era recomendada por ser um funcionário, mesmo que temporário) e pelo Mago (que era um stripper, totalmente inaceitável para “alguém como ela”). Além da teimosia, do conservadorismo, vocês vão perceber uma grande quantidade de preconceitos que ela nem percebe que tem, mas se guia por eles. 

- Acompanhamos esse processo de camarote, Alanna é a narradora, portanto, é quem apresenta os demais personagens para nós. Como a gente passa todo o livro seguindo o raciocínio dela, conseguimos perceber os problemas – sempre quem está de fora tem essa vantagem, vê o que a própria pessoa não enxerga. 

- Mais que um livro erótico com cenas sexies, é uma história sobre esse amadurecimento, a partir do viés do rompimento dos limites autoimpostos sobre a sexualidade da protagonista e como encarar o mundo além de rótulos que não se sustentam. E tem muita gente que vive assim fora da ficção. 

- Links: Goodreads livro e autora; siteda autora; Skoob; mais no Literaturade Mulherzinha. 

Arrivederci!!!

Beta

Um comentário :

  1. Amei sua resenha. Tô muito emocionada!!! Muitíssimo obrigada! Vou compartilhar com muita alegria. Beijos

    ResponderExcluir