sábado, fevereiro 06, 2021

Ciao!!!



Lançamentos variados e para gostos diferentes, a Faro Editorial traz cinco novidades em fevereiro.
Confira!


Riqueza de detalhes. Requintes de crueldade. Uma vítima. Um suspeito. Um detetive. Essa parece ser a fórmula para criar uma boa história de assassinato, e foi o que o matemático Grant McAllister fez em seus 7 contos de crimes baseados nessa máxima. Mas quando a editora Julia Hart decide reeditar esse material e entender algumas inconsistências do texto de Grant, ela começa a perceber que essa conta pode ser baseada em muito mais do que cálculos, e podem revelar crimes reais.
A Faro Editorial lança este mês o livro “Oito detetives” do autor estreante Alex Pavesi, que teve os direitos vendidos para mais de uma dezena de países e reuniu uma série de elogios de escritores e jornalistas pelo mundo. Um thriller alucinante sobre um autor, suas histórias, uma editora ambiciosa, e uma série de assassinatos que nunca foram resolvidos.
Existem regras para mistérios de assassinato. Uma vítima, um suspeito e um detetive. O restante é apenas embaralhar a sequência de fatos para enganar o leitor. E foi essa lógica que o matemático Grant McAllister usou para escrever sete histórias de detetive, calculando as diferentes ordens e possibilidades. E, por trinta anos, essas histórias pareceram perfeitas aos olhos de quem as lia. Mas depois de um grande sucesso, e como o autor não criou mais nenhuma obra, o livro foi esquecido no fundo das prateleiras dos sebos.
Agora, vivendo recluso numa remota ilha do Mediterrâneo, vendo a vida passar, o autor aceita um encontro marcado com Julia Hart, uma editora ambiciosa e extremamente sagaz. Julia quer reeditar o livro de Grant, mas nota muitos pontos inconsistentes, quase propositais. Aos olhos de uma profissional, parecem falhas que um escritor tão dedicado não cometeria, e lembram mais confissões do que suposições. E ela decide investigar, se afinal essas histórias não foram baseadas em fatos reais.
Em uma batalha intelectual com um adversário perigosamente inteligente, Júlia percebe que há um mistério maior por trás dos livros. Grant deixou as pistas para conectar os livros ou assassinatos verdadeiros? Será que Julia está correndo perigo ou sua mente inquieta está sendo manipulada por um autor genial? Uma leitura que irá pegar em cheio fãs de Agatha Christie e Arthur Conan Doyle.


Sochi, 2014. Um esquema quase que hollywoodiano para burlar o sistema de antidoping dos Jogos Olímpicos de Inverno começa a se desenrolar. Sistema criado pelo governo russo e encabeçado pelo Dr. Grigory Rodchenkov, o químico responsável pelo laboratório antidoping autorizado pelo COI para fiscalizar justamente os atletas russos. Um esquema para “melhorar” a performance dos atletas do país, que estava tão bem estruturado, que era capaz de produzir recordes mundiais, levando a Rússia a alcançar o topo das competições de elite. Esse era o protocolo!
A Faro Editorial lança o livro “O protocolo russo”, escrito pelo Dr. Grigory Rodchenkov, químico responsável pelo maior esquema de doping da história do esporte mundial. Neste relato, Dr. Rodchenkov conta como que a Rússia foi banida dos próximos Jogos Olímpicos em Tóquio, e como os recordes e medalhas dos esportistas do país podem ter sido maculados pelo uso estratégico de anabolizantes e esteroides.
 Dr. Grigory Rodchenkov, foi um atleta universitário, que conheceu os anabolizantes como esportista, e posteriormente, como químico. Ele sabia as reações fisiológicas no rendimento do atleta e como essas substâncias “sumiam” no organismo. E foi com esse conhecimento prático e técnico que ele começou a montar um sistema de doping “responsável”. Era simples. Como representante oficial de antidoping do COI na Rússia, ele sabia quais substâncias poderiam ser “pegas” nos testes, e então estudou a forma de “limpar” os atletas antes das competições.
E toda essa estratégia era feita embaixo do nariz dos diretores da WADA (Agência Mundial Antidoping), do COI (Comitê Olímpico Internacional) e com proposta pelo governo Putin. Um protocolo que levou diversos atletas a quebrar recordes e angariar diversas medalhas de ouro. E que, ao ser denunciado, tirou a possibilidade dos esportistas russos de representarem seu país nos Jogos Olímpicos, na Copa do Mundo e em outros eventos esportivos nos próximos quatro anos.
Um livro que revela os bastidores de uma fraude mundial, que mancha a história do esporte de alta performance, a corrupção de um país que queria se manter no topo a qualquer custo, e de atletas que aceitaram se tornar “cobaias” para garantir premiações e privilégios. E também a história de um homem que hoje se tornou o inimigo mais procurado de seu país e está condenado a viver na clandestinidade e pagar o preço de sua ambição.




Ser adolescente já é complicado. Começar o Ensino Médio então, nem se fala. Agora imagina ter que fazer tudo isso e ainda ser meio vampiro, meio lobisomem e meio zumbi? Pois é, essa é a vida de Tom, que além de esconder uma espinha feia, vai ter que dar um jeito de ninguém no colégio perceber que ele é um transmorfo. Tá bem fácil mesmo ser o Tom...
A Faro Editorial lança “Vambizomem”, o primeiro livro da trilogia “Mordidas na escola” criada por Steve Craig Banks, roteirista do mundialmente famoso personagem Bob Esponja. A série infanto-juvenil, com ilustrações ao estilo cartoon feitas por Mark Fearing, será lançada pelo selo MilkShakespeare, e também teve os direitos adquiridos por diversos países.
Tom está prestes a ingressar no Ensino Médio e vive o dilema de todo garoto da idade dele, ou quase. Porque para Tom, além de lidar com a nova escola, com o possível bullying e com os estudos, ele tem de tentar esconder um traço de sua personalidade, digamos, um tanto inusitada: Tom é um meio vampiro-lobisomem-zumbi. 
Isso mesmo, Tom, teve num período de 24 horas uma série desafortunada de mordidas desses monstros e se tornou um metamorfo, quase um mutante, um milkshake de monstros, mas ainda precisa parecer um adolescente comum e, para seu melhor amigo, Zeke, vai ser super tranquilo – pelo menos para ele que quer tirar alguma vantagem de ter um amigo desses ao seu lado. Mas será que o colégio Hamilton está mesmo pronto para essa aventura?
“A primeira mordida que levei foi às 2h54 da madrugada, quando eu dormia na minha cama. A segunda veio três horas depois, durante a minha corrida por uma estrada escura na floresta. E a terceira, naquela tarde, em um trailer velho e abandonado de circo. Tudo aconteceu no segundo pior momento do ano — o último dia das férias de verão...”



 

Dos primórdios da filosofia com Platão, Sócrates e Aristóteles, seguindo ao encontro dos maiores pensadores da humanidade como Francis Bacon, Espinosa e Voltaire, passando por Kant e o idealismo alemão, Schopenhauer, Nietzsche e outros filósofos contemporâneos, o historiador Will Durant nos apresenta um registro extraordinário dos mais importantes filósofos de nossa história.
A Faro Editorial lança este mês a coleção “A História da Filosofia” volumes 1 e 2, do historiador Will Durant, que esmiúça as ideias, a origem e a formação dos maiores pensadores da nossa história. O primeiro volume, nos apresenta os clássicos, de Platão a Voltaire, e o segundo volume traz autores mais contemporâneos, indo de Kant a John Dewey.
O grande diferencial do trabalho de Durant é o estudo da vida dessas figuras. Ele faz a relação entre as experiências, trajetória e o que os fizeram elaborar suas propostas filosóficas. Das mentes notáveis desses filósofos, Durant extrai um material conciso e brilhante para leitores e estudiosos e oferece obras que podem ser lidas em sequência ou por capítulos aleatórios e utilizadas como referência.
Trata-se de uma coleção-chave para qualquer leitor que deseja pesquisar a história e o desenvolvimento das ideias filosóficas no mundo ocidental. Poucos escrevem para o não especialista como Will Durant: a visão e a inteligência em suas análises nunca deixam de impressionar. O autor viajou o mundo para conhecer, na prática, como todas as manifestações culturais e filosóficas interagem com o conhecimento que adquirimos no decorrer dos séculos.



Milton Friedman é um dos nomes mais conhecidos da economia moderna. Além de economista por formação, era estatístico, e esse seu conhecimento o levou a embasar seu trabalho analisando o consumo, seja ele individual, empresarial e até governamental. E muito do que Friedman apontou, moldou a forma como os economistas passaram a enxergar os impactos do mercado financeiro na vida do cidadão comum. Afinal, muito mais do que movimentar bolsa de valores e mercados cambiais, as mudanças econômicas afetam a nossa vida, todos os dias.
A Faro Editorial lança pelo selo Avis Rara, o livro “O essencial de Milton Friedman”, escrito pelo professor e economista Steven E. Landsburg. A obra é uma introdução e uma síntese do trabalho desenvolvido pelo célebre economista, estatístico e escritor norte-americano, ganhador do Nobel de Economia, Milton Friedman.
A influência de Friedman se estendeu além dos economistas. Ele foi o principal defensor da liberdade econômica e pessoal. Por meio de seus escritos e aparições na mídia, ele educou milhões sobre como os mercados funcionam e como os governos frequentemente falham. Ele restaurou a respeitabilidade das noções liberais clássicas que haviam caído em desgraça, e não o fez mediante propaganda engenhosa, mas transmitindo uma compreensão profunda e duradoura das próprias ideias.
Ele revolucionou a maneira como os economistas pensam sobre consumo, dinheiro, política de estabilização e desemprego. Friedman demonstrou o poder de se comprometer com algumas suposições simples sobre o comportamento humano e então perseguir implacavelmente suas implicações lógicas.
Em mais de 60 anos de carreira, desenvolveu e ensinou novas maneiras de interpretar dados, testando suas teorias por meio de sua capacidade de explicar vários fenômenos díspares. Seriam necessários vários volumes para fazer justiça às contribuições extraordinárias de Friedman para a teoria, prática e política econômicas, mas aqui o leitor tem uma síntese delas.
“Uma sociedade que coloca igualdade antes da liberdade acabará por ficar sem nenhuma. A sociedade que coloca liberdade antes da igualdade acabará com uma boa medida de ambas.”

Arrivederci!!!

Beta

0 comentários :

Postar um comentário