domingo, junho 06, 2021

Ciao! 

Disponível na Amazon  

Este é o desfecho da Trilogia dos Patriarcas, da família Murray. A Arqueiro comprou os direitos do ponto de partida da longa série escrita pela Hannah Howell.

Torço para que compre as próximas trilogias. 

A promessa das Terras Altas – Hannah Howell – Editora Arqueiro (Os Murrays 3) 
(Highland Promise - 1999) 
Personagens: Bethia Drummond e Eric Murray 

Bethia recebeu a missão de proteger o sobrinho James, após a morte suspeita dos pais dele. Ciente de que eles seriam as próximas vítimas, pegou a criança e fugiu de Dunncraig. No caminho, encontrou com Eric Murray, que estava a caminho de resolver as próprias pendências familiares. Ele assumiu a promessa de protegê-la e acompanhá-la até Dunnbea. No caminho, tinham que se desviar os perseguidores e lidar com as consequências das decisões que eles e os outros tomaram. 

Comentários: 

“A ganância é uma motivação criminosa tão comum quanto a vingança e a paixão. Mas a senhorita não disse nada sobre gargantas cortadas na calada da noite ou uma adaga cravada nas costelas. Nesses casos, fica bem fácil comprovar um assassinato e fazer acusações. – Eric suspirou, balançando a cabeça. – A senhorita falou de veneno, uma arma sutil e sombria, de uso muito difícil de provar. São pouquíssimos os venenos que deixam rastros, são logo vistos e bem conhecidos. Alguns agem de forma que poderia facilmente ser confundida com alguma espécie de doença”. 

-  Bethia é um patinho feio guerreiro. À medida que a gente vai lendo a história dela percebemos como, desde a infância, ela se conformou com um tratamento que ninguém deveria receber de ninguém. Especialmente dos próprios pais e da irmã gêmea. No entanto, ao não ser idolatrada como Sorcha, aprendeu a se virar, a duvidar das intenções dos outros e a ter iniciativa. 

- Essas características foram fundamentais quando ela viajou a Dunncraig para ajudar Sorcha a cuidar do filho recém-nascido, James, e ver os pais do bebê morrerem de forma estranha. Ela desconfiou e comprovou que William, e os dois filhos tão detestáveis quanto ele, agia por meio do envenenamento para tirar qualquer um que o atrapalhasse a assumir de vez a propriedade que não era, por direito, dele. 

- Por isso, Bethia pegou James e fugiu de Dunncraig em direção à Dunnbea para relatar aos pais o que houve com Sorcha e buscar proteção para o bebê. Ciente que William seria caçada por William. No caminho, ela encontra um cavaleiro que também viajava em busca de solucionar questões familiares. 

"- Não precisa de ter medo de ser repreendida pelas circunstâncias do nosso casamento. A nossa história deve ser a mais entediante e corriqueira de todos os Murrays nos últimos tempos, pode acreditar”. 

- Eric sempre soube que era Murray por adoção. Depois de muitas petições e tentativas diplomáticas, chegou a hora de pleitear a herança de sangue: o decadente castelo e vila de Dubhlinn. Para isso, precisava do reconhecimento da família materna – o objetivo da viagem dele. Ao ver Bethia, ofereceu ajuda – e também porque se interessou pela jovem que em ninguém enxergava beleza.

- Daí em diante, ele se envolve nessa viagem para chegar com Bethia e James em segurança às terras do Drummond. Com vários perrengues, problemas e imprevistos. A gente percebe os dois se aproximando. No entanto, além do perigo, a baixa autoestima de Bethia são grandes desafios. E enquanto William estiver vivo e solto, não haverá tranquilidade para ela, para James e para quem tentar defendê-los. 

– É estranho como uma mocinha tão pequena pode ser capaz de um cavaleiro tremer nas bases. 

– Se isto serve de consolo, saiba que você não é primeiro a se sentir assim e com certeza não será o último. 

- A história fala que família não se limita à DNA, mas a laços de afeto, carinho, respeito e lealdade. Destaca que a verdadeira beleza não se limita à aparência física, mas se manifesta nas atitudes. A coragem está em fazer a coisa certa, mesmo quando tudo está contra. 

- Não é um livro perfeito, há alguns momentos em que a narrativa fica arrastada. E também há algumas situações repetitivas, até mesmo pelo misto de ingenuidade e teimosia de Bethia. No entanto, é muito bom entender quem são os casais que formaram as raízes da família Murray. 

- E repitam: torçam para a Arqueiro comprar as histórias da próxima geração, que tem as protagonistas arrasa-quarteirão Elspeth, Avery, Gillyanne, que nasceram com zero paciência com atitudes fracas e estúpidas, seja de quem as ama ou de quem tenta atravessar o caminho delas.   

Os Murrays

- Links: Goodreads livro, série e autora; site da autora; Skoob; mais sobre Os Murrays e a autora no Literatura de Mulherzinha. 

Arrivederci!!!

Beta

3 comentários :

  1. Olá,
    Gosto muito dessa série, lembro quando ela foi publicada pela primeira vez como romance de banca, eu comprei e adorei. Agora comprei as publicações da Editora Arqueiro, que estão lindas demais!
    Parabéns pela resenha, ficou maravilhosa ;)
    Beijinhos
    Renata
    Escuta Essa | Instagram | Facebook | Twitter

    ResponderExcluir
  2. Gente, eu amo esses livros! Agora vão saíram em edição "chique", é isso? Os que eu tenho são os bons e velhos "livros de banca" hahaha

    ResponderExcluir
  3. E ainda tem "nova geração"? Isso eu não sabia!!!!! Preciso ler. Obrigada por avisar.

    ResponderExcluir