domingo, junho 27, 2021

Ciao! 


Disponível na Amazon  



Mais um da Meta de Leitura  

O nascer do sol sobre os telhados e as cúpulas de Florença era um momento magnífico. Pura arte e glória. A mesma luz delicada cintilara sobre a arte quando homens conceberam e construíram as grandes cúpulas e as grandes torres, cobriram-nas com mármore colhido nas montanhas e as decoraram com imagens de deuses e santos”. 

Fiz um verdadeiro mutirão para ler este livro. Primeiro porque tem Florença e citações ao Renascimento Italiano. Segundo porque fiquei curiosa. Terceiro porque precisava de uma pausa para recarregar as baterias.

Resultado: recomendo. 

Bellissima – Nora Roberts – Bertrand Brasil
(Homeport - 1998)
Personagem: Miranda Jones
 

Ao pegar a estátua “A Dama Sombria”, Miranda soube instintivamente que tinha em mãos uma peça de muito valor para autenticar. Após os testes, a intuição se mostrou correta. No entanto, um vazamento impossibilitou a sequência do trabalho. Depois, outra peça que ela autenticou teve a origem questionada, de uma forma bastante inusitada. Com a reputação comprometida, ela se viu em uma busca, por caminhos não muito oficiais, pela verdade, encontra evidências de que o alvo era ela e não sabe por quê. 

Comentários: 

- Os Jones de Jones Port eram uma família vinculada às artes. Os filhos Miranda e Andrew comandavam o Instituto de Pesquisa em Massachusetts. A mãe, Elizabeth, dirigia a StandJo, em Florença. O pai, Charles, estava em um trabalho de pesquisa de campo. Eles estavam envolvidos em uma descoberta recente: a pesquisa da origem de uma estátua que pode ser “A Dama Sombria”, esculpida durante o Renascimento. 

- Após ser roubada na porta de casa no Maine, Miranda finalmente chegou à Florença. Assim que viu a estátua, soube que ela era uma peça única e que estava diante de uma potencial descoberta muito importante. Os testes confirmaram a intuição. No entanto, a informação vazou para a imprensa e a StandJo perdeu o contrato.  

- Este foi o início de um período infernal para Miranda. Com a reputação colocada em xeque, ela ainda se vê às voltas com a autenticidade de outra peça, Davi de Donatello, que foi atestada por ela ser questionada. O pior foi quem a questionava e por quê.  

- A partir daí, ela ganha um inesperado aliado, Ryan Boldari, dono de galeria de artes e que também se dedicava a outra área de atuação não muito legal. Eles começam a montar o quebra-cabeça e percebem que o Davi e A Dama Sombria podem estar interligados em uma trama mais ampla, em que Miranda está no centro. E que não vai poupar quem estiver envolvido. 

- O amor faz o mundo girar, Miranda. É por isso que o mundo é tão errado”. 

- Enquanto Miranda e Ryan estão na busca, a gente acompanha também a jornada de Andrew em busca da sobriedade e do equilíbrio emocional. Não vai ser algo fácil, porque ele está na situação limite depois de tanto tempo “engolindo” os sentimentos e sem saber como lidar com eles. 

- Um livro que fala sobre arte, sobre como ter certeza de que a beleza imortalizada é original, também discute as imperfeições do nosso dia a dia. A família que projetava uma imagem impecável possui várias rachaduras e muitas além da possibilidade de restauro. E outra família que se mostra unida para o que der e vier – o que deixou Miranda bem chocada. Também podemos perceber como a busca pelo reconhecimento pode levar as pessoas a cometerem erros – e crimes. E que o passado pode ser um peso.  

- O título nacional – Bellissima – não tem nada a ver com o título original – Homeport. E o mais incrível é que ambos estão completamente adequados ao contexto do livro. De formas diferentes, obviamente, exploram aspectos da trama. Parabéns a quem escolheu.  

- Além disso, embora a trama se passe em dois países, adorei por ver minha sonhada Florença como cenário. E também gostei de ver citações aos grandes mestres do Renascimento. Isso me deixou tão feliz que precisaria reler o livro para encontrar defeitos.  

- Uma heroína que teve a credibilidade contestada, que demorou para usar a lógica pela qual era tão famosa, um parceiro que a gente sabe desde o início que não é digno de confiança e coadjuvantes onde ninguém parece ter motivo para se envolver em uma trama dessas. Assim como na arte, é necessário estar atento aos mínimos detalhes para se comprovar a autenticidade. Nora Roberts costura artes, intriga, suspense, atração sexual, romance em uma história onde todos podem colocar os interesses próprios acima dos outros e ninguém pode ser o que parece – e isso torna tudo ainda mais perigoso. 

- Links: Goodreads livro e autora; site da autora; Skoob; mais dela no Literatura de Mulherzinha 

Arrivederci!!!  

Beta

0 comentários :

Postar um comentário