sábado, setembro 18, 2021

Ciao! 

Disponível na Amazon

 

Ana Duval é uma sobrevivente. Diante de tudo que ela passou, merece meu total respeito.

Já Bastien, fiquei com dúvidas. 

Joia da Inocência – Maya Blake – Paixão Glamour 10 
(Innocent in his Diamonds – 2015 – Mills & Boon Modern Romance) 
Personagens: Ana Duval e Bastien Heidecker 

A modelo Ana Duval estava muito encrencada: presa por estar com drogas em uma boate e a Justiça determinou uma fiança absurda de cara... que foi paga pela empresa para qual ela trabalhava. E agora estava sob condicional e sob vigilância do CEO da Heidecker, Bastien. Como tudo sempre pode ficar pior, ele tinha sérias ressalvas à Ana por causa de uma quase tragédia familiar envolvendo a mãe da garota. Agora ela precisava provar que era inocente ou correria risco de perder a chance de finalmente realizar o único sonho que acalentou ao longo da vida.  

Comentários:  

Independentemente do passado, Ana Duval era a culpada pelo caos infernal que acabara com a vida dele. Testara o controle dele dois meses atrás e continuava fazendo a mesma coisa, lembrando[1]o da vulnerabilidade das próprias emoções.
E isso ele jamais perdoaria.
 

- As imagens não mentiam: a modelo Ana Duval foi presa por posse de drogas em uma boate. A Justiça não teve clemência e agora, enquanto não fosse a julgamento, ela estava sob responsabilidade de Bastien Heidecker. O dono da empresa de diamantes que ela era o rosto dos comerciais de joias. O homem que teve a família destruída por causa das ações da mãe de Ana.  

- Embolado, né? Imagina só na cabeça de Ana que era uma criança na época. E agora era uma linda mulher que Bastien não conseguia esconder que desprezava ao mesmo tempo que desejava. Ele tinha várias certezas sobre ela e começa o livro atirando praticamente pedreiras na garota. Afinal de contas, “estava no DNA, ela era uma muito sensual e claro que usaria isso de forma indiscriminada”. Basicamente estes são alguns pensamentos dele sobre ela.  

- Maya Blake volta ao tema da garota sendo “punida” por ser uma garota e acrescenta ainda toda a raiva que Bastien sentiu sobre a situação dos pais e que o impulsiona a ter certeza de que Ana não é tão inocente quanto diz ser.  

- Nem preciso dizer que ele vai quebrar a cara. Aliás, a autora gostei que a Maya Blake começou a desmontar as convicções dele não da forma óbvia. A cena que começa de uma forma muito irritante – desrespeito à privacidade – e termina com um tapa com luva de pelica de Ana.  

- A partir disso, temos outro confronto em andamento: o desejo e a razão dos dois. Ela consegue aprofundar os personagens, dando vazão aos sonhos que Ana perderia caso não provasse a inocência e aos sentimentos que Bastien optou por ignorar desde o trauma com os pais. Só que ele vai perceber que não foi o único traumatizado na vida. De certa maneira, Ana perdeu até mais que ele. 

- Gostei de ver a trajetória dos personagens, o quanto eles se modificaram. Comecei detestando Bastien e terminei gostando dele. Comecei gostando de Ana e terminei admirando como ela foi resiliente sem perder a doçura e a esperança, mesmo quando não tinha retorno. Maya Blake acertou de novo. 

- Links: Goodreads livro e autora; site da autora; Skoob; mais dela no Literatura de Mulherzinha 

Arrivederci!!!  

Beta

0 comentários :

Postar um comentário